Uncategorized

Registro de arma sobe 280%

do Estadão

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse neste sábado, 29, que pretende “garantir”, por decreto, a posse de arma de fogo para cidadãos sem antecedentes criminais, além de tornar o registro do equipamento definitivo. Especialistas questionam a mudança por decreto sem aval do Congresso, uma vez que afetaria o Estatuto do Desarmamento, lei de 2003. Na prática, todo cidadão pode pedir a posse à Polícia Federal, se cumpridos alguns requisitos, como ficha criminal limpa e exames de aptidão. O total de registros tem crescido: o salto foi de 280% de 2009 a 2017, chegando a 33 mil licenças no País.

5 Comentários

  1. Lauro Rodrigues Reply

    Esse estatuto foi feito e imposto por goela abaixo do cidadão brasileiro , pois no plebiscito tinha sido a favor do porte e registro , e mesmo contra a maioria foi implantado o estatuto , e concordo nesse quesito quem tem passagem e ou antecedentes criminais seja proibido do registro e muito menos o porte , e é claro o curso e o psicotécnico devem ser obrigatário .

  2. Grande Presidente, cumprindo o que promete. Agora qualquer cidadão poderá defender a si, sua propriedade e sua família.

Comente