Uncategorized

Os autores do múltiplo homicídio em Brumadinho imploram por castigo

Augusto Nunes,
A fila de responsáveis pelo múltiplo homicídio, culposo ou doloso, seguido de destruição ambiental é tão extensa quanto a lista dos fregueses do Departamento de Propinas da Odebrecht. O desfile dos delinquentes de Brumadinho merece ser puxado pelo ex-governador Fernando Pimentel, cujo descaso pela vida dos mineiros foi escancarado pela reprise da erupção de horror em Mariana, e pelo presidente da Vale, Fabio Schvartsman. O comandante da empresa reincidente jura que não tem palavras para descrever o sofrimento que lhe causou o rompimento de outra barragem. O que anda fazendo a turma que preside cabe em 18 letras: canalhice assassina.
A multidão de protagonistas e coadjuvantes agrupa corruptos acampados na Agência Nacional de Águas e na Agência Nacional de Mineração, comparsas infiltrados no Ministério de Minas e Energia, campeões da vadiagem que infestam os órgãos encarregados de zelar pelo segurança das barragens, engenheiros vigaristas, fiscais bandidos a serviço de mineradoras, parlamentares que impedem o endurecimento da legislação, ineptos fantasiados de promotores de Justiça e magistrados que, por safadeza ou estupidez, poupam de punições os delinquentes que produzem tsunamis de rejeitos. Fora o resto.
A contemplação do passado informa que o Brasil se habituou a só colocar fechadura em porta arrombada. Para que essa deformação repulsiva deixe de obstruir o caminho que encurta a chegada ao futuro civilizado, é preciso transformar em marco zero o drama que assombrou novamente o mundo. Os autores da tragédia de Brumadinho são casos de polícia. Têm de aprender que já não existem condenados à perpétua impunidade. A direção da empresa merece exemplares castigos financeiros. Todos os envolvidos no crime merecem cadeia.

2 Comentários

  1. Augusto, são tantos e tamanhos os danos causados ao povo mineiro e brasileiro com estes crimes ambientais, que a ex-presidenta Dilma dizia que eram” desastres ambientais”, que, para esquecermos um pouco de tudo isso vamos precisar pelo menos mais dez, vinte anos de vida.Para julgar os responsáveis, na extensa lista que você apontou, precisaremos de uma Corte de Justiça absolutamente imparcial, composta de homens e mulheres de conduta ilibada, conhecimentos notórios e trabalhos e estudos com reconhecimento mundial, para então sim, vê-los na cadeia além da perda de suas fortunas para reparar os danos causados e as dores sofridas. Mas, Augusto meu nobre, onde iremos encontrar estes homens e mulheres num pais marcado pela incompetência e desmando? Claro está que em alguns setores deste imenso território, ou quem sabe numa faculdade em algum país estrangeiro poderemos encontrá-los. Será um grande desafio que o novo presidente poderá propor para aos novos membros da justiça e a sociedade organizada, antes que mais uma Brumadinho aconteça. Queira Deus que eu não esteja sonhando.

  2. antonio carlos Responder

    Não acredito na “comoção” do presidente da empresa, não passa de mais uma desculpa furada. Outro que vai se ferrar até não poder mais é o ex-governador, mais dia menos dia vai parar na cadeia como outros ex-governadores como ele. Lugar de irresponsáveis com o dinheiro público, ladrões e corruptos sempre foi a cadeia.

Comente