Uncategorized

O Paraná foi deixado fora dos acordos de leniência do pedágio?

A Assembleia Legislativa aprovou nesta segunda-feira, 8, requerimento do deputado Romanelli (PSB) em que pede informações à procuradora-geral do Estado, Letícia Ferreira, e ao secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, se o “Estado figura como parte nos acordos de leniência feitos pelo Ministério Público Federal e as concessionárias Rodonorte e Viapar”. E também se “a duplicação da BR 376, em seus 90 Km, foi incluída no acordo de leniência realizado entre o MPF e a Rodonorte”.

“Esses acordos de leniência pelo que a imprensa veicula não contemplam, na minha avaliação, o interesse público. Um exemplo é o caso da BR 376, Rodovia do Café, ligação fundamental entre a região norte do Paraná e Curitiba, na qual não estão incluídos os 90 km que deveriam ser duplicados”, diz Romanelli.

A duplicação da BR-376, adianta Romanelli, é uma das principais cobranças de entidades e da sociedade civil organizada do norte do Paraná, em razão da sua importância estratégica, tanto para a economia paranaense, como para o desenvolvimento da região e segurança dos usuários.

Contratos – O deputado pede ainda que informações se “de fato o Estado do Paraná através do PGE e do DER são partes desses acordos leniência feitos pelo MPF”. “Isso é de maior interesse para que possamos documentar essa resposta para poder fazer esse debate que é de maior importância”, destaca.

Romanelli justifica seu pedido já que as “investigações criminais culminaram com a confissão pelas concessionárias de participação de atos ilícitos relacionados aos contratos de concessão firmados entre o Estado, o DER/PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná), o DNER(Departamento Nacional de Estradas de Rodagem) – atual DNIT; o Ministério dos Transportes e as concessionárias”.

“As respostas a tais questionamentos são fundamentais para o Estado do Paraná, posto que várias rodovias em concessão são estaduais e os contratos de concessão foram firmados pelo Governo do Estado, sendo atingido, nesse caso, o interesse do povo paranaense”, completa.

2 Comentários

  1. Lamentável o questionamento dos senhores deputados nesta fase de recuperação de parte do dinheiro roubado de nós contribuintes pelas concessionárias em conluio com maus agentes públicos e com a cobertura de vários deputados conforme declarações do delatores. Porque, só agora querem saber onde vai o dinheiro e não no período de 22 anos não fizeram algum para saber quem estava nos roubando?
    Cada movimento desses deputados sempre tem alguma sacanagem ou trapaça por traz, acredito que estão querendo levar vantagem nestas devoluções de recursos, só pode ser!

  2. RAFAEL DE LALA Responder

    Concordo com o Deputado Romanelli: o Estado do Paraná, por suas autoridades locais, precisa acompanhar a questão e sustentar o interesse publico estadual no mais alto grau de autonomia federativa.
    Rafael de Lala, jornalista, secretário do Movimento Pró-Paraná

Comente