Uncategorized

Caminhoneiros buscam
opções à greve

Muitos caminhoneiros ainda tentam digerir a alta de R$ 0,10 no preço do diesel, anunciada na quarta-feira pela Petrobrás. Endividados e em situação financeira precária, eles tentam encontrar uma alternativa para não decretarem greve nas próximas semanas, o que poderia piorar ainda mais o quadro econômico. Mas a ala mais radical da categoria já marcou paralisação para 29 de abril, o que tem provocado mal-estar nos grupos de WhatsApp dos caminhoneiros. Nem todas as lideranças concordam com uma paralisação neste momento. As informações são do Estadão.

6 Comentários

  1. SERGIO SILVESTRE Responder

    Não concordam por que eles estão com o Bozo,e vai ser bonito ver eles se fuderem abraçados com ele,bem feito,gasolina a 2.80 e diesel a 1.90 tava ruim,ora paguem 3.70 o litro de diesel e não bufem .

  2. Essa ala mais ” radical” é dos sindicatos, ligado a esquerda criminosa, o povo não vai apoiar como da outra vez!

  3. Parreiras Rodrigues Responder

    O que resultou a opção pelo rodoviarismo anos idos. Teve um presidente que disse que governar é abrir estradas. Estradas de ferro e nos rios também, devia explicar.
    Estamos amarrados, como estamos presos à política monopolizadora da Petrobrás. E os atrasados ainda bradam pela não privatização.
    FERROVIAS E HIDROVIAS, JÁ!

  4. Parreiras Rodrigues Responder

    Mulher de caminhoneiro amigo meu, me disse: Mato esse fidumaégua se ele fizer greve. Não é ele que faz compras…

  5. A Petrobrás deve ser privatizada e acabar com o monopólio.
    O Estado não precisa de empresas, na verdade elas “empresas” só tem utilidade para arranchar os apadrinhados dos governantes como vimos nos governos anteriores, onde a empresa tinha a finalidade de abastecer caixa-2 e diversos outros desvios de recursos, conforme a própria imprensa noticiou amplamente. Somente com a livre concorrência, inclusive das importações, os preços com certeza baixarão e, se não baixar, ao abastecer estamos pagando apenas o combustível e não pelo combustível mais propina.

Comente