Uncategorized

Conta de água no Paraná mais cara a partir de maio

Com a publicação em Diário Oficial da homologação do aumento de 12,13% na conta de água e esgoto da Sanepar, a tarifa reajustada já poderá ser cobrada a partir do dia 17 de maio, segundo a companhia de saneamento. Para definir a data, foi considerado que a homologação do reajuste já foi “amplamente divulgada” a partir de 15 de abril, quando o conselho executivo da Agepar homologou a decisão. A regra sobre o reajuste determina que passe a valer 30 dias após a data da publicação em Diário Oficial, mas a Sanepar considera que já houve a publicização cobrada em lei. As informações são do Bem Paraná.

A publicação em Diário Oficial foi feita por volta das 17 horas desta terça-feira (23). O aumento deve ser aplicado na conta do consumidor de forma gradativa, a partir do próximo dia 17, dependendo da data da leitura de cada consumido.

O reajuste de 12,13%, acima da inflação, que foi de 4,5% no período, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi autorizado no último dia 15 pela Agepar, a pedido da Sanepar.

Em seis anos da gestão Beto Richa (PSDB), entre 2011 e 2017, o reajuste foi de 123,96% – acima da inflação do período, que ficou em 47,49%. O último reajuste da tarifa da Sanepar, de 2018, ficou em 5,12%. (2019: 12,13%; 2018: 5,12%; 2017: 8,53%; 2016: 10,48%; 2015: 12,5% – em duas etapas de 6,5% e 6%).

A Sanepar afirma que o índice é composto pela inflação dos custos do setor de saneamento mais a terceira parcela do diferimento aprovado na revisão tarifária de 2017. O diretor-presidente da companhia, Claudio Stabile, e o presidente em exercício da Agepar, João Vicente, participaram de reunião ontem, na Assembleia Legislativa, para falar aos deputados sobre o reajuste. Stabile iniciou a apresentação explicando que o reajuste é composto pela inflação dos custos do setor de saneamento, medida de acordo com indexadores variados (IPCA, IGPM e INPC) mais a terceira parcela do diferimento aprovado na revisão tarifária de 2017, atualizada pela taxa Selic. Aí ele fez um breve histórico do período que vai de 2006 a 2010, quando a tarifa ficou congelada, durante o governo de Roberto Requião (MDB) e os subsequentes aumentos até 2016.

Segundo Stabile, houve uma “reavaliação dos ativos da companhia”, ocorrida em 2017, quando ficou decidido que a diferença de mais de 26% seria diferida em parcelas ao longo de oito anos. Fez questão de atacar o que chamou de mistificação do diferimento, insistindo que ele não deve ser atribuído a governos anteriores. “A empresa tem 54 anos, recebemos um passivo. Não conseguimos apresentar o resultado que todos reclamam em tão pouco tempo”, disse Stebile.

6 Comentários

  1. xiru de palmas Responder

    É necessário o aumento.
    A Sanepar necessita repassar dividendos aos seus acionistas.
    Tudo está legal.
    Agora como é que o povo, principalmente os funcionários do executivo, que estão a tres anos sem uma reposição salarial vão arrumar dinheiro para pagar?
    Eu estou começando a furar um poço no meu terreno. Quero ver se algum orgão de fiscalização vem embargar.
    Tambem já estou plantando uns pés de eucalipto, pois com o aumento do petróleo vou voltar para o fogão de lenha.
    Pena que meu lote é pequeno senão eu compraria um cavalo e assim me livraria do aumento dos combustíveis e das passagens de onibus.
    E o governador querendo ainda chutar o trazeiro dos funcionários dizendo que vai terminar com as licenças especiais e os quinquenios para poder pagar os reajustes salariais.
    Não tenho palavras para poder elogiar esta administração.
    Só posso dizer que o povo está economizando a dentadura,. pois pouco há para mastigar.

  2. Caro Fabio, depois da entrevista do Presidente da Sanepar hoje na RPC (24/04/2019), onde o mesmo foi arrogante, prepotente, gozou da cara do povo Paranaense, com a justificativa do aumento de 12% da taxa de água no Estado Paraná, o Governador Ratinho Junior deveria demiti-lo imediatamente. Na minha opinião a Sanepar deveria ser privatizada já. Essa estatal somente serve para dar cargos em comissão da corja de vagabundos, principalmente de Ex-Deputados que não se elegeram, paga uma verdadeira fortuna para esses safados que nem vão trabalhar naquela Estatal. Em tempo onde anda o pilantra do Plauto Miró que não se manifesta sobre esse assunto.

  3. Um absurdo! O povo do Paraná está sendo assaltado por este aumento descabido. Mande a tua conta de água para o governador Ratinho.

Comente