Uncategorized

Com Bolsonaro, o cordão dos rejeitados cada vez aumenta mais


Apesar da formação militar, o presidente Jair Bolsonaro ignora a máxima de que “as guerras vêm e vão, mas os soldados são eternos.” “Soldados” na campanha vitoriosa de 2018, que também ajudaram no governo de transição, agora estão magoados com o capitão. Muitos nem sequer foram convidados para o governo e outros, aproveitados, acabaram dispensados por “neo-bolsonaristas”. Na área de educação, inúmeros especialistas ligados à campanha foram depois “limados”. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Primeiro apoiador enxotado do convívio com Bolsonaro após a vitória, o ex-senador Magno Malta até hoje não sabe ao certo o que aconteceu. O general Marco Aurélio Vieira, secretário nacional de Esportes, foi “rifado” do ministério do neo-bolsonarista Osmar Terra (Cidades).

A primeira mulher militar a se engajar na campanha, coronel Márcia Amarillo, também foi alijada do projeto de Escolas Cívicas. Primeiro ministro demitido por Bolsonaro, Gustavo Bebianno foi vítima de embates com Carlos, o “Zero Dois”, um dos filhos do presidente.

4 Comentários

  1. Pesquisa aponta,Bolsonaro é o mais rejeitado entre os vagabundos,bandidos,ladrões,cortuPTos,esquerdopatas e outros lixos.

  2. Do Interior... Responder

    Esse governo está afundando… Infelizmente pode ser a porta aberta para a volta do PT, ainda pior.

  3. PAULO SERGIO MOREIRA Responder

    Alô FC!
    O Delegado Francischini também tá no cordão dos rejeitados?
    Eu apostava que ele iria pro Governo …

Comente