Uncategorized

PMs envolvidos na morte de jornalista em Curitiba são afastados

Policiais seriam interrogados hoje no Inquérito Policial Militar que foi instaurado para apurar o caso. Mas foram dispensados. A PM informa que ‘houve uma inversão nos atos processuais devido a um policial militar estar doente’. Os advogados dos três policiais militares envolvidos na perseguição que acabou com a morte do jornalista Andrei Francisquini na Praça da Espanha, em Curitiba, disseram que os clientes estão afastados dos serviços para tratamentos médico e psicológico.

Porém, os policiais foram dispensados, segundo os advogados Cláudio Dalledone Junior e Eduardo Zanoncini Miléo, devido ao fato de “se encontrarem afastados dos serviços burocráticos e operacionais com a finalidade de acompanhamento médico-psicológico”.A PM ainda afirmou que a dispensa não vai influenciar o andamento do inquérito e que os três policiais “serão ouvidos oportunamente”.

A perseguição policial aconteceu na madrugada de 12 de maio. Andrei Gustavo Orsini Francisquini tinha 35 anos e estava sozinho no carro quando foi abordado pelos PMs, na Avenida Vicente Machado.

1 Comentário

  1. Com todo respeito, tiro só se justifica qdo o abordado vem pra cima portando arma ou algo estranho..

Comente