Uncategorized

“Aqui não é terra sem Lei”, diz Moro sobre refúgio para estrangeiros

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, revogou o status de refugiados políticos de três paraguaios que moram no Brasil desde 2003 e são acusados no Paraguai por envolvimento em um caso de sequestro de 2002. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira, 23, e comentada pelo próprio ministro em seu Twitter. As informações são da VEJA.

Juan Arrom, Anuncio Martí e Víctor Colmán, ex-militantes do esquerdista Partido Pátria Livre (PPL), são acusados pelo sequestro de María Edith Bordón, mulher de um empresário local, que passou 64 dias no cativeiro e foi libertada depois do pagamento de um resgate de 300 mil dólares.

O trio fugiu para o Brasil após o caso e afirma ter sido torturado por policiais paraguaios para confessar participação no crime. O refúgio aos três foi concedido em 2003, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

No mês passado, no entanto, a Corte Interamericana de Direitos Humanos (CorteIDH) absolveu o Estado paraguaio de qualquer responsabilidade por falta de provas.

A notícia da revogação foi comemorada pelo presidente Jair Bolsonaro, que disse que os três paraguaios “voltarão para seu país e pagarão pelo seus crimes, a exemplo de Cesare Battisti, preso na Itália”.

Extradição
O promotor paraguaio de Assuntos Internacionais, Manuel Doldán, confirmou que Moro rejeitou a apelação administrativa à revogação desse status apresentada por Arrom, Martí e Colmán. Os três militantes apelaram contra a decisão do Comitê Nacional para Refugiados (Conare) do Brasil, que em meados de junho decidiu cancelar o status de refugiados.

4 Comentários

  1. Negar os fatos diante da luz do sol, tornou-se regra. Tem herói jurando que o defunto que levou 5 tiros na cabeça está vivo e só está com dificuldade de respirar, porque foi jogado dentro do rio….

  2. SERGIO SILVESTRE Reply

    Não seria o caso do Moro achar o Queiroz que deve estar no Paraguai,ai pronto ,a cooperação é valida.

  3. BENEDITO MACIEL DE GOES Reply

    – Por acaso o Dr. Ministro quando era juiz da lava jato agiu dentro dos conformes da lei, do Estado Democrático de Direito?

  4. antonio carlos Reply

    KKK agora quero ver estes ex-refugiados recomeçarem as suas vidas na terra de onde fugiram. A coisa não vai ser das melhores para o trio de paraguaios.

Comente