Uncategorized

Sergio Souza teria recebido propina de R$ 3,25 milhões por meio de “requintada engenharia financeira”

O Antagonista

Na decisão que autorizou a Operação Grand Bazaar, o ministro Celso de Mello ressalta que a investigação da Polícia Federal reuniu indícios de que Sergio Souza recebeu R$ 3,25 milhões em propina para blindar dirigentes dos fundos de pensão na CPI da qual era relator.

“Vale registrar existência de indícios que denotam o recebimento, pelo parlamentar investigado, de pelo menos R$ 3,25 milhões, a fim de evitar a convocação e o indiciameneto, pela CPI dos Fundos de Pensão, da qual era relator, de Wagner Pinheiro de Olilveira, ex-presidente da Petros, e de Antônio Carlos Conquista, ex-presidente do Postalis, entre outros potenciais envolvidos nas práticas alegadamente criminosas sob apuração, à época, da Câmara dos Deputados.”

Ainda, segundo o decano, o inquérito apresenta “subsídios materiais” que expõem “indícios da prática do crime de “lavagem de capitais, mediante a utilização de requintada engenharia financeira, que teria envolvido operações ‘dólar-cabo’, empresas de fachada sediadas no exterior e a emissão de notas fiscais fictícias, tudo em ordem a dar aparência de licitude ao dinheiro a ser supostamente entregue ao congressista ora requerido”.

4 Comentários

  1. O Dep. Sergio Souza é mais uma vergonha para o Paraná, esperamos que nas próximas eleições ele seja defenestrado da vida publica, sentença esta a ser dada pelo nosso povo ao negar-lhe o seu voto nas urnas.

  2. antonio aldemir toledo da silv Responder

    Eu acreditei nele. Era novo, estava começando a vida pública. Se for verdade e espero que se apure, para depois eu chamá-lo de canalha.
    Tá difícil de acreditar no povo brasileiro, porque os políticos que aí estão são frutos do meio.

Comente