Uncategorized

Bitcoin Banco: Dono teria dado cheque sem fundo para pagar cliente

Clientes do Grupo Bitcoin Banco, plataforma administrada por Cláudio Oliveira e que envolve, entre outras, as exchanges NegocieCoins e TemBTC, procurou a justiça para pedir que ela determine a falência da empresa de Curitiba, conforme informou o portal Gazeta do Povo em 28 de outubro.

Segundo a publicação o grupo de clientes foi o mesmo que conseguiu um mandado de busca e apreensão de bens em nome do GBB e de seu controlador, contudo, para não levar os itens que pertenciam a empresa e firmou um acordo para receber os cerca de R$ 1,4 milhões retidos nas plataformas do GBB, mas o acordo não teria sido cumprido. As informações são do Portal Cointelegraph.

Desta forma, indignados com a situação, buscaram à 1ª Vara de Falências e Recuperação Judicial de Curitiba para pedir a falência do Grupo e, desta forma, tentar reaver parte dos valores investidos. O GBB alega, de acordo com a reportagem, que não foi notificado ainda e quando for, “se manifestará em juízo”.

De acordo Daniel Borghetti Furlan, advogado das supostas vítimas, Cláudio Oliveira, teria ainda tentado pagar os clientes com um cheque sem fundo que depois foi sustado com a justificativa de roubo.

“Em relação a isso nós notificamos o responsável por crime de estelionato. Ainda não fizemos a notícia-crime, mas em breve isso vai ser tratado na esfera penal”, afirmou o advogado que pede também pelo indeferimento de um possível pedido de recuperação judicial do GBB para não “atrasar as soluções para os processos em investigação”.

Como noticiou o Cointelegraph, a crise nos saques do Grupo Bitcoin Banco começou no primeiro semestre do ano e deve se arrastar sem solução pelo menos até 2020. Recentemente, um empresário esteve na sede do Grupo Bitcoin Banco, em Curitiba (PR), portando cartazes que criticavam Cláudio Oliveira, dono do GBB, conhecido como “rei do Bitcoin”.

6 Comentários

  1. NÃO VOTE EM QUEM JÁ FOI Responder

    Quem cai no conto do vigário destas criptomoedas é mais desonesto que o estelionatário.

  2. Os leitores deste blog devem estar lembrados que no inicio do ano alertei para este golpe que estava iniciando. Salientei que a moeda não existe por ser imaginação de estelionatário inteligente e quem caísse na armadilha devia estar ciente que seu dinheiro não voltaria nunca mais. E o que aconteceu?
    O malandro conseguiu enganar incautos e agora está dirigindo carros de luxo pelas ruas das grandes cidades.
    Até em minha casa tive problemas, pois um parente rompeu amizade comigo por não concordar com a falcatrua. Agora, de vergonha, ele só vai na minha casa quando não estou.
    Mas acredito na justiça e logo logo a cara destes ladrões serão mostradas em público.

  3. antonio carlos Responder

    kkk até hoje o privilégio de fazer milagres ainda continua com Deus, mas como tem gente que não resiste a uma boa “pechincha” se deixa levar pela sonho do lucro fácil. Aprendi da pior maneira possível, sendo roubado por um cunhado, mas como diz o ditado, dinheiro roubado não frutifica, o cara hoje está muito pior do que eu.

  4. Pra falar a verdade tenho vontade de parabenizar estes estelionatários, pois quem lá investiu, o fez pela ganancia e lucro fácil sem trabalhar. Não me venham com este papo “eu não sabia de nada”…. já tem um preso na PF que vive falando isso.

  5. Eles estão tranquilos com o dinheiro dos incautos.Não serão condenados, pois poderão ser condenados em primeira instância, na segunda e anos e anos depois serem julgados pelo supremo que certamente os absolverão, em detrimento aos prejuisos dos aplicadores. No supremo, certamente serão absolvidos, inclusive com a possibilidade de incriminar os investidores. Assim é o BRASIL.

Comente