Uncategorized

Relator do Orçamento minimiza polêmica sobre fundo eleitoral

O relator da Lei Orçamentária Anual (LOA), deputado Domingos Neto (PSD-CE), minimizou polêmicas sobre os R$ 2 bilhões para financiar as campanhas municipais do próximo ano.

Os recursos para campanhas eleitorais, segundo o deputado, são o único tema que dividiu o Parlamento. Ele ressaltou, no entanto, que o dinheiro não virá de setores sociais.

“O recurso vem das emendas de bancada. O Congresso está dando a sua contribuição e não está tirando dinheiro de área alguma. Pelo contrário, em relação ao texto que veio do governo haverá mais recurso e mais investimento”, disse Domingos Neto.

Emendas de bancada
O relator também destacou a aprovação, neste ano, da proposta que torna obrigatória a execução das emendas de bancada. Segundo ele, a medida aumenta a responsabilidade dos deputados sobre os gastos governamentais.

“Existe uma virada de chave na relação do Congresso com o Orçamento: nós passamos a ter não só a responsabilidade da indicação dos recursos, mas teremos de ter também a responsabilidade no acompanhamento da sua execução”, afirmou.

O presidente da Comissão Mista de Orçamento, senador Marcelo Castro (MDB-PI), também destacou a ampliação do papel do Parlamento na definição de políticas públicas. “O Poder Legislativo agigantou-se neste ano. Nós demos passos decisivos para cumprir o ditame constitucional da independência e da harmonia dos poderes”, disse.

Segundo ele, o Congresso Nacional foi o protagonista da elaboração do Orçamento. “Isso é um passo decisivo e irreversível na valorização das ações do Legislativo”, afirmou.

Castro também ressaltou que, mesmo em um momento de ajuste das contas públicas, o Congresso conseguiu preservar a área social. “Conseguimos dinheiro para as universidades do Brasil que haviam recebido cortes, para a transposição do rio São Francisco e para as bolsas da Capes e do CNPq”, afirmou.

5 Comentários

  1. (kkkkk). É um pândego. e teve partido “que se disse” (ACREDITE SE QUISER!!!!!) contra o fundo eleitoral e sendo contra pediu para “reduzir” o valor (rsrsrsrsrs). E tem gente que adota esse “discurso”. Banquete de hipócritas…

  2. As emendas de bancadas não foram criadas para investimentos nos Estados?
    Agora este dinheiro vai para campanhas políticas?

  3. Esse canalha pensa que o povo são idiotas, uma parte até pode ser, mas os que trabalha para sustentar essa cambada não. Se a verba vem das emendas parlamentares de onde será que vem os recursos se não do suor de quem paga os impostos. É um canalha mesmo.

  4. Jorge Hardt Filho Reply

    este fundo é um escárnio Muitas vezes é pra eleger ladrões de dinheiro público

Comente