Uncategorized

BH: ‘Não se enganem com o sol que começa a aparecer’, alerta prefeito

do G1

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kallil (PSD) alertou neste domingo (26), com exclusividade ao G1, que a cidade ainda está em estado de risco geológico. “Não se enganem com este sol que começa a aparecer, porque há previsão de novas chuvas”.

Segundo a Defesa Civil, o alerta vale até o dia 31 de janeiro. O alto volume de chuva dos últimos dias deixou o solo encharcado e propenso a deslizamentos.

Na capital mineira, foram registradas 12 mortes entre sexta e sábado. Cinco pessoas estavam em uma mesma casa, no bairro Jardim Alvorada, quando o imóvel desabou. “Nós retiramos da casa durante o dia. A família voltou, a casa desabou e morreu todo mundo. Estou alarmando, sim”, disse prefeito. A Defesa Civil já confirmou oito mortes na capital mineira.

Na Região do Barreiro, na Vila Bernadete, 7 pessoas morreram soterradas. Cinco foram resgatadas neste domingo.

Alexandre Kalil fez um apelo para que as pessoas que vivem em áreas de risco e forem orientadas a deixar suas casas, só retornem com autorização da Defesa Civil.

Segundo Kalil, quase 300 pessoas estão numa pousada reservada pela prefeitura. “Quem estiver numa situação assim, procure as regionais. São nove”, afirmou.

Emergência e mortes no estado
O governo de Minas Gerais afirmou na manhã deste domingo (26) que decretou situação de emergência em 47 cidades do estado por causa da chuva. A Defesa Civil de Minas Gerais confirmou 37 mortes pela chuva no estado desde a sexta-feira (24).

A Defesa Civil havia confirmado 38 óbitos, mas depois voltou atrás e disse ser 37. Um óbito de Carangola, na Zona da Mata, foi retirado.

De acordo como o órgão, 25 pessoas seguem desaparecidas. Doze pessoas ficaram feridas. Até a manhã deste domingo a Defesa Civil contabilizava 3.354 desabrigados e 13.687 desalojados.

A cidade com mais mortes confirmadas é Belo Horizonte: 8; Betim tem 6 e Ibirité, 5.

Comente