Uncategorized

Justiça suspende demissões em fábrica da Petrobras de Araucária

O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) decidiu nesta terça-feira (18) que as demissões dos mais de mil empregados da Fábrica de Fertilizantes do Paraná (Fafen-PR) devem ser suspensas pelo menos até o dia 6 de março. A decisão ocorreu após audiência de dissídio coletivo de greve movida pelo Sindiquimica-PR contra a direção da Petrobras. A sessão foi conduzida pela desembargadora Rosalie Michaele Bacila Batista.

‌As demissões na Fafen são um dos pontos principais de reivindicação da greve dos petroleiros. A direção da Petrobras decidiu fechar a empresa e realizar desligamento em massa, contrariando acordo coletivo.

No Rio de Janeiro, onde um grupo de petroleiros ocupa o Edifício Sede (Edise) da estatal, um grande ato foi realizado reunindo movimentos populares, estudantes e trabalhadores em defesa da estatal e em apoio ao movimento grevista, que chegou ao seu 18º dia.

‌trt paranáTadeu Porto, diretor da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e ocupante do Edise, disse que a decisão representa uma vitória diante da intransigência da direção da Petrobras. “O pessoal da Fafen que está aqui no Rio de Janeiro está comemorando muito porque demonstrou uma correlação de forças incrível. A gente entrou em uma luta quase de Davi versus Golias e conseguiu derrubar o Golias”, afirma Porto.

2 Comentários

  1. Tem mais de um ano que fui demitido sem justa causa.
    Fui devidamente indenizado na forma da lei…tudo certo.
    Nem o meu Sindicato ou o TST interveio a meu favor…
    Gostaria de voltar a trabalhar, pode até ser nesta fábrica de fertilizantes aí, mesmo dando prejuízo publico, não é ?
    O prejuízo de empresa pública é da Viúva mesmo…

  2. Esta suspensão é cosmética porque vai ser cassada logo em seguida. E o sindicato sabe disto. Trata-se de uma fábrica deficitária, logo passível de fechamento. Infelizmente muita gente vai ter que procurar emprego em outro lugar, mas a vida é assim mesmo, dinâmica.

Comente