Uncategorized

Moro não é vítima, sabia quem era Bolsonaro e a ele se juntou


Ora, pois, Sérgio Moro sabia muito bem quem era Jair Bolsonaro. O Brasil inteiro sabia que o atual presidente era um homem de ultra direita, anticomunista fóbico, defensor da tortura, que reconhecia no coronel Brilhante Ustra, um torturador denunciado, o seu modelo. O Brasil sabia e Moro também, que Jair Bolsonaro representava as correntes mais retrógradas do planeta. Baseado em religiosidades atuantes na vida social e política do país, Bolsonaro se diz, orgulhosamente, homofóbico, contra a liberação do aborto, antifeminista, defensor da repressão violenta contra os criminosos e contra a subversão da ordem e de valores que fariam Mussolini corar. Abrigou sempre os prosélitos que contestam a ciência em favor de teorias absurdas, como a negação de que o planeta é redondo ou que o homem é resultado da evolução. Ele elegeu o discurso moralista mais raso contra a corrupção para empolgar a população decepcionada com os governos do PT. Tornou-se um um craque no uso da linguagem mais chã do senso comum, carregada de preconceitos e falsidades.

Moro sabia de tudo isso. Sabia também que Bolsonaro ascendeu favorecido pela desconstrução dos partidos e desmoralização das lideranças políticas pela Operação Lava Jato, da qual participou ativamente ao lado dos Procuradores e da Polícia Federal, num conluio reprovável para quem exercia a função de juiz. Moro sabia que por tudo isso Bolsonaro o tinha em alta conta, pois se mostrou o principal favorecido pela caça às bruxas da Lava Jato. Bolsonaro vibrou e teceu loas a Moro quando o então juiz expediu ordens de prisão ao arrepio do Código de Processo Penal. E mais comemorou quando o ex-juiz ofereceu testemunhas para a acusação, atuando segundo interesses políticos acima da lei. Bolsonaro o premiou com um superministério, juntando Justiça e Segurança Pública e reservando a Moro o poder de polícia.

Sergio Moro, gostosamente aceitou e igualou-se ao a Bolsonaro, novo líder e herói. Não resistiu. Abandonou a carreira de 22 anos na magistratura e uma fama de pop star da Justiça após levar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à prisão e se tornou o primeiro ministro a tomar posse no novo Governo do presidente Jair Bolsonaro. Em troca deu ao governo seu aval de credibilidade. Assumiu o Ministério da Justiça e Segurança Pública para alegria de quem endossava o presidente ultradireitista, e decepção de quem via oportunismo e contradição nesse casamento. Mas Moro topou, e prometeu colocar em prática o discurso anticrime organizado e anticorrupção.

A jornada longe dos tribunais, porém, terminou de maneira abrupta, em meio à pandemia de coronavírus nesta semana. Moro saiu fazendo graves acusações ao presidente Bolsonaro por querer interferir nos rumos da Polícia Federal, exonerando, à revelia do ministro, o diretor geral da corporação, Maurício Valeixo. É o ponto final de uma aventura que chocou o mundo e tirou muito do brilho de outrora herói anticorrupção. “Estou protegendo minha biografia e minha dignidade”, disse. Ora, para proteger sua biografia e sua dignidade era preciso não ter aderido a um Governo que tinha telhado de vidro antes mesmo de começar.

Moro foi catapultado para a fama pela operação que nasceu em Curitiba em 2014 e construiu como poucos uma reputação popular que fez sombra aos maiores titãs políticos até então. Soube se relacionar com a mídia e catalisar o anseio dos brasileiros por mais justiça e menos corrupção. Ao levar empresários e políticos para a cadeia —e seu maior troféu, o ex-presidente Lula— ganhou o amor eterno da maioria da população. Ainda tem 53% de percepção positiva no Brasil, mais do que Bolsonaro (39%). No meio jurídico, porém, sua fama perdia espaço à medida que atropelava ritos jurídicos para alcançar os resultados, viciado, segundo juristas, para atingir o governo do PT e suas pretensões de se manter no poder. O Estado de Direito foi atingido pelo modus operandi de Moro, e sua biografia ficou manchada, ainda mais depois de aceitar o convite de Bolsonaro, arqui-inimigo político do principal alvo do ex-juiz da Lava Jato.

Ironia do destino, Moro sai do Governo que o tirou da magistratura afirmando que precisava se demitir em defesa do Estado de Direito. “Busquei uma solução alternativa para tentar evitar uma crise política durante a pandemia, mas entendi que eu não podia, aí, deixar de lado esse meu compromisso com o Estado de Direito”, apontou o ministro. Outra ironia apareceu na despedida de Moro. Teve de reconhecer que durante a operação Lava Jato a Polícia Federal nunca sofreu interferência ou pressão direta dos presidentes petistas que foram escrutinados por ela. “Imagina se durante a própria Lava Jato a então presidente Dilma e o ex-presidente Luiz [Lula] ficassem ligando para as autoridades para obter informações?”, disse ele.

16 Comentários

  1. Caro Fábio, existe uma contradição muito grande, que deixa a sociedade em dúvida. O país possui um decreto federal que impede o exercício da prática da filosofia do nazismo e fascismo, mesmo em pleno estado de direito e tendo a liberdade de expressão. Esses partidos quando mandatários de poder em seus países para instalação e durante as guerras mundiais, eliminaram compatriotas e vizinhos chegando próximo a 20 milhões de seres humanos. Por outro lado, vimos o comunismo e seus lideres títeres assumindo posições cada vez mais influente na economia mundial. Pasmem os senhores, não existe sequer uma repreensão. A revolução russa de 1917, eliminou mais de 40,0 milhões de russos. A revolução chinesa na rota ao interior eliminou mais de 50,0 milhões de chineses.A revolução cubana com a instalação do comunismo de FIDEL Castro, eliminou mais de 10.000 cubanos adversários do regime. Ainda continua eliminando os contrários. Agora recente na Venezuela, com os ditadores Chaves e Maduro já eliminaram mais de 100.000 venezuelanos contgrários a instalação do comunismo no país. Venezuelanos, mais de 1,0 milhão sairam do país, em busca da liberdade. Não dá para falar das ditaduras comunistas africanas, onde estão fazendo um morticínio. Agora no Brasil, estamos vendo o comunismo tomando conta do país, com esses inúmeros partidos comunistas, começando pelos nacionais PCB, PCdoB, PT, PSOL, PSDB, PSB, PPS, MDB, e demais partidos satélites que ocupam espaços. A sociedade deu uma virada no país de 180º em 2016 e 2018. O processo de limpeza deve continuar, com retirada desses comunistas da política. Agora no final do ano, teremos nova eleição para vereadores, e devemos retirar os demais comunistas do poder. Analisem os países que possuem os mandatários como partidos comunistas. Estão paulatinamente virando ditaduras. É isso que a sociedade deseja. Vejam isso, para não deixar um desastre para os nossos sucessores. Atenciosamente.

  2. Fico feliz e grato ao universo por estar vivo e poder ler isso nesse site/blog.
    Nunca esquecerei, por óbvio, os outroras apedrejamentos do articulista a quem quer que fosse que estivesse no caminho do então juíz….quem te viu quem te vê…. sempre do lado que está com maior brilho…. agora, chega a decretar que houve pelo ex juíz prisões ilegais!!!

    Tenho a consciência tranquila de sempre ter tido posicionamento pelo justo, contrário quem quer que fosse que estivesse errado, mas sobretudo, sem defender bandidos de estimação.

    Moro, se atingir sei objetivo maior que é a presidência da República, igualmente não será capaz de governar. A presidência não cai bem a quem não merece!

    Impeachment ilegal (isso não quer dizer que era um bom governo. Não era). Prisão ao arrepio da lei. Aliar-se a fã de criminoso (Ustra é sim um criminoso e Bolsonaro é seu fã). E todo um ranço descarado fazem do pré candidato um perfeito atraso.

  3. Juizeco de quinta categoria, sempre falei isto. Está colhendo o que plantou, e ainda vai colheer mais.

  4. sergio gonçalves Responder

    Com certeza, mas também tinha esperança que dava para melhorar a situação política do Brasil. só não previa e eu também que o Bolsonaro era um porra louca e que seus filhos tinham tanta influência negativa sobre ele.
    O Moro fez o certo, saiu atirando para deixar pouca margem de manobra dos Bolsonaros.

  5. Campana! O que é certo, é certo em qualquer lugar!
    Você tem razão em muita coisa e na explanação dos acontecimentos, porém chamar a Lava jato de conluio é muito pesado!
    O problema da Lava Jato foi atuar em apenas um lado, o da esquerda clássica. Deveríamos ver uma Lava jato do PSDB, PMDB, DEM, PP e outros que na visão que qualquer cidadão comum pode se perceber que houveram atos de no mínimo conivência com o que há no Brasil há décadas.
    O problema no Brasil, e há pitadas disso no texto acima é que já que não puni-se todos, melhor não punir ninguém!
    O direito é algo difícil de engolir no Brasil pois em muitos casos uma evidência é descartada por não seguir um rito que na visão jurídica é para garantir direitos mas na verdade garante impunidade. Este é o caso de o Juiz indicar para procuradores possível testemunhas.
    O problema deveria ser a testemunha mentir ou não.
    Enfim um blog onde o autor deste não emite opinião não deveria existir! Este NÃO é o seu caso. Parabéns por ser claro e emitir opiniões claras. Quem dera os brasileiros capazes fossem assim.
    Abraço!

    João – Londrina PR.

  6. Não sei quem escreveu isso ai de cima, mas sinceramente nunca li tanta mentira e barbaridades.
    Vc caiu bastante Fabio Campana.

  7. Ninguem esperava por este tipo de desligamento de Sérgio Moro. Claro que sabia perfeitamente dos grandes riscos que correria ao se desligar da magistratura. Está pagando um preço caríssimo por ingressar neste mundo sujo da política que é conhecido por todos…

  8. Moro não perdeu um ministério, mas ganhou o Ministério da Lealdade, lealdade para com o povo brasileiro, mostrou ao Brasil sem medo, a sujeira que existe no meio politico desta Nação.

  9. SERGIO SILVESTRE Responder

    Moro tentou sair do governo por cima,calculista.jogou bosta no ventilador,mas se esqueceu das entrevistas anteriores e do modo como blindou o crime dos seus amigos.Moro e Bolsonaro um dia vão ter que explicar para o povo como um comabte Fake a corrupção leva o Pais a Bancarrota,
    Eu vivi 12 anos de minha vida vendo pela primeira vez esse Pais ser respeitado,eu vivi 12 anos de minha vida vendo esse Pais mais perto dos pobres,
    Jogamos tudo pela janela,matamos o Cristo e se unimos a Barrabás,e as mentiras contadas a exaustão,um grupo cariocado oriundo das entranhas do crime,ajudados por desembargadores fuleiros deu nisso que vemos hoje,umcaos politico e uma justiça morrendo de vergonha,isso se sobrou um pouco neles.

  10. NÃO VOTE EM QUEM JÁ FOI Responder

    Fábio, você deveria bloquear os comentários do SS, bunda tatuada. Ele não tem moral nenhuma de expressar o seu pensamento, uma vez que vem de um partido que disseminou a desgraça e a corrupção desenfreada que é o PT. Só escreve revanchismo, não lembra que perdeu as eleições. Fora.

  11. J o h a n…. O que comunismo? E de comer? E de Beber? E uma seita? De que planeta tu veio,? pois tu esta dirigindo a palavra para um pais, que a Globo dizia que tinga 12 milhões de desempregados, e na realidade somos 42 milhões, onde se precisa de 50% do salario minimo , para consultar um médico especialista, para não falar em outras coisas, e em pleno 2020, tu queres amedrontar as pessoas , sobre o comunismo em que já vive 42 milhões de brasileiros? Tu conhece as periferias das cidades brasileiras, acho que não! Pois índios, pretos, pobres, “massa de manobra” que mantem a classe politica, já anda em nosso meio. Comunista pra mim e piar de prédio, de onde deve ser a tua origem. Saia da zona de teu conforto, de uma volta nas periferia e Veras, que o comunismo já esta entre nos a muito tempo. Que Deus tenha misericórdia de ti e dos teus.

  12. Fábio, não existem HERÓIS nem MITOS.. só canalhas..cada um escolha o seu MENOS canalha.

  13. Sarinha ou Safadinha Responder

    Os filhos do Bolsonaro parecem uma quadrilha, louca pelo poder, fama, mordomias, fama, poder, mordomias, fama, poder ………………….

  14. Meu Deus do céu, que texto mais aloprado é este? Onde foram tirar tais tipos de conclusão, entendo que o isolamento social está fundindo a cabeça de muita gente, mas jamais imaginei que chegasse a tanto. Associar o ex-juiz à família do JMB é muita piração, estou pasmado em ver que outros “terraplanistas” estão dando crédito a esta piração. Deixo a critério do blogger publicar ou não a minha indignação, poucas vezes vi tanta doideira dita junta e contando com os aplausos de tantos doidos.

  15. ESTAMOS DE OLHO Responder

    PODERIA TER PEDIDO DEMISSAO SEM CAÇAR ENCRENCA COM ESTA GENTE SUJA,NAO SE NIVELE COM ELES JUIZ O SENHOR E MUITO SUPERIOR ATE AQUELES QUE AGORA O CRITICAM,FORÇA
    E BOA SORTE NA SUA TRAJETORIA SEJA QUALFOR ELA.

Comente