Uncategorized

Governo tem 72 horas para entregar gravações de reuniões com Moro

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Celso de Mello (foto), deu 72 horas para o governo entregar gravações de reuniões citadas pelo ex-ministro Sergio Moro em seu depoimento à PF (Polícia Federal).

“Oficie-se, com urgência, em complementação à decisão por mim hoje proferida, ao Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado Chefe da Secretaria-Geral e ao Senhor Secretário da Secretaria Especial de Comunicação Social, órgãos da Presidência da República, e, também, ao Senhor Célio Faria Júnior, Assessor-Chefe da Assessoria Especial do Presidente da República, para que encaminhem, no prazo de 72 (setenta e duas) horas, cópia dos registros audiovisuais da reunião realizada entre o Presidente da República, o Vice-Presidente da República, Ministros de Estado e Presidentes de bancos públicos, ocorrida no dia 22/04/2020, no Palácio do Planalto”, determinou o ministro decano do STF.

Segundo Moro, o presidente teria cobrado durante a reunião do Conselho Ministerial, em 22 de abril, uma troca na superintendência da PF no Rio de Janeiro.

Eis o trecho do depoimento do ex-ministro:

“QUE perguntado se havia desconfiança em relação ao Diretor VALEIXO, o Declarante respondeu que isso deve ser indagado ao Presidente; QUE o próprio Presidente cobrou em reunião do conselho de ministros, ocorrida em 22 de abril de 2020, quando foi apresentado o PRÓ-BRASIL, a substituição do SR/RJ, do Diretor Geral e de relatórios de inteligência e informação da Polícia Federal;

QUE o presidente afirmou que iria interferir em todos os Ministérios e quanto ao MJSP, se não pudesse trocar o Superintendente do Rio de Janeiro, trocaria o Diretor Geral e o próprio Ministro da Justiça;”.

As reuniões teriam sido gravadas. Bolsonaro chegou a ameaçar divulgar as gravações, mas recuou.

Celso de Mello determinou ainda que é necessário “preservar a integridade do conteúdo” da gravação e impedir “que os elementos nela contidos possam ser alterados, modificados ou, até mesmo, suprimidos”.

4 Comentários

  1. Infelizmente o que estou vendo agora é uma DITADURA, nunca vi isso na vida, um Presidente e seus Ministros terem que mostrar a gravação de uma reunião do Presidente com seus Ministros.
    teriam que pedir também as reuniões de Lula fazendo seus conchavos. Me poupem de ter que engolir esta sujeira toda.

  2. Caro Fábio, com essa colocação do supremo ministro Celso de Melo, dando prazo exíguo ao presidente Bolsonaro para responder quesito de Ex-ministro, fico me questionando,” o supremo ministro não tem mesmo o que fazer, pois cobra dos envolvidos no caso com uma presteza de enlouquecer”, por outro lado, porquê da demora em dar sentença em processos que estão sob sua responsabilidade há mais de décadas?????????? Atenciosamente

  3. Supostamente o sr sergiu morus foi arrebanhado pelo stf para ser uma especie de informante da suprema corte em troca de uma vaguinha no stf que sera deixada pelo veio decano,
    não estranhe se em dezembro o sr sergiu morus sera ministro do stf.
    É segunda facada que o presidente recebe mas dessa vez sabemos quem é o mandante e o executor.

  4. SERGIO SILVESTRE Responder

    Lula, Dilma e Michel Temer foram mais espertos. Não gravavam reuniões da quadrilha.

Comente