Uncategorized

“Se preciso for, adiar eleições sem estender mandatos”, diz Barroso

Da Gazeta do Povo – Na sessão virtual em que tomou posse como presidente do Tribunal Superior Eleitoral, nesta segunda-feira, dia 25, o ministro Luís Roberto Barroso deixou claro que está trabalhando com o Congresso Nacional para evitar que a pandemia do coronavírus atrapalhe o calendário eleitoral deste ano, que tem eleições municipais programadas para outubro. “As eleições somente devem ser adiadas se não for possível realizá-las sem risco para a saúde pública. Em caso de adiamento, ele deverá ser pelo prazo mínimo inevitável”, afirmou.

De forma sensata, Barroso já descartou de antemão uma hipótese que chegou a ser levantada por parlamentares que até mesmo apresentaram propostas de emenda à Constituição pedindo a unificação do calendário eleitoral a partir de 2022, o que na prática significaria conceder mais dois anos de mandato aos atuais prefeitos e vereadores. “O cancelamento das eleições municipais, para fazê-las coincidir com as eleições nacionais em 2022, não é uma hipótese sequer cogitada”, disse o novo presidente do TSE.”

3 Comentários

  1. João Bruning1 Responder

    Opa! ótima oportunidade para aumentar os mandatos para 5 anos e ACABAR com a reeleição. Inclusive para Governadores e Presidente.

  2. Prolongar mandato e puro golpe, vai beneficiar os que nada fizerão nós quatro anos e agora vai levar um pé na bunda. Mas vai querer permanecer mais dois anos.

Comente