Uncategorized

Hospitais da RMC estão quase sem vagas para pacientes com Covid-19

Bem Paraná – A escalada de casos de Covid-19 na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) já traz reflexos importantes na taxa de ocupação dos leitos UTI adulto exclusivos para pacientes contaminados ou com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus. Segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), das 240 vagas disponíveis pelo sistema público de saúde (o SUS) em 10 hospitais da RMC, 201 (83,75%) estavam ocupadas ontem, sendo que metade dos estabelecimentos apresenta taxa de ocupação acima de 90%.

No Hospital Evangélico, por exemplo, todos os 23 leitos adultos em UTI estavam ocupados até ontem. Na Santa Casa e no Hospital Municipal de São José dos Pinais, a taxa estava em 90%. Já no Hospital do Trabalhador e no Hospital do Rocio, em Campo Largo, a taxa era de 91 e 92%, respectivamente.

Médica intensivista do Complexo Hospitalar do Trabalhador e integrante do Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências Médicas e Terapia Intensiva (CEPETI), Mirella Cristine de Oliveira comenta que a situação começou a se complicar há cerca de duas semanas. Ela, inclusive, cita o dia 29 de maio, uma sexta-feira, como um momento ‘histórico’.

“Numa sexta, duas semanas atrás, tivemos uma noite em que internamos 14 pacientes. Isso nunca tinha acontecido na pandemia e já era reflexo de problema no distanciamento social lá atrás. Nós estaremos com o sistema de saúde em xeque nas próximas duas ou três semanas, no mínimo”, alerta a médica.

Ainda segundo ela, desde março o Complexo Hospitalar do Trabalhador (composto pelo Hospital do Trabalhador, Hospital de Reabilitação e Hospital Oswaldo Cruz) vinha mantendo uma taxa de ocupação entre 45 e 50%. Na última segunda-feira, contudo, todos os 60 leitos já estavam ocupados.

“De segunda para cá tivemos três, quatro altas, mas tivemos um momento complicado durante o final de semana. Tenho medo de outra noite com 14 internações”, comenta. “Nesse ritmo [de evolução da pandemia], os leitos que ainda temos disponíveis não vão dar conta”, complementa.

A Sesa tem plano para aumentar o número de UTIs para a Covid, quando necessário.

Ao todo, 15% dos que vão para a UTI com coronavírus morrem

Os leitos de UTI, inclusive, foram um dos temas abordados pela secretária municipal de Saúde Marcia Huçulak e pela médica infectologista Marion Burger, em live transmitida ontem pela Prefeitura de Curitiba. Segundo elas, nas próximas semanas serão ativados mais 58 leitos SUS na cidade (para atendimento geral) e, além do hospital Vitória, na CIC, há possibilidade de reabertura de mais um outro hospital, além de já existir um projeto pronto para instalação de um hospital de campanha na cidade.

Apesar disso, Márcia também tratou de destacar que, ao menos até o momento, não faltou leito para pacientes contaminados pelo novo coronavírus e ressaltou que, mesmo assim, o número de óbitos está aumentando, o que demonstraria a gravidade da doença.

“Mesmo tendo acesso a internamento, todos os medicamentos, mesmo assim, dos pacientes que internaram (em UTI), 15,6% faleceram. Isso mostra que, mesmo com acesso a um tratamento adequado, a letalidade da doença é grande”, afirmou Marion.

“Tem pessoa que me diz ‘põe leito de UTI e libera tudo’. Gente, isso é uma insanidade, é uma insanidade. Porque é uma doença nova, tem uma nova droga aí, da família dos corticoides, que não é uma cura, mas um alento porque melhora o quadro de pacientes graves. Mas da nossa estatística, dos que internaram, 15% foram a óbito. É muita gente”, disse Márcia. “Nós temos leitos de UTI, podemos ativar mais, mas vidas não voltam. Eu insisto nisso”, complementou.

Leitos exclusivos Covid na RMC – UTI Adulto

Nº de Hospitais: 10
Leitos existentes: 240
Leitos ocupados: 201
Taxa de ocupação: 83,75%
Hospitais com leito em UTI adulto exclusivo para Covid-19
Curitiba
Hospital da Cruz Vermelha
Vagas existentes: 7
Vagas ocupadas: 5
Taxa de ocupação: 71%
Hospital Erasto Gaertner
Vagas existentes: 10
Vagas ocupadas: 6
Taxa de ocupação: 60%
Hospital Santa Casa
Vagas existentes: 10
Vagas ocupadas: 9
Taxa de ocupação: 90%
Hospital de Clínicas
Vagas existentes: 33
Vagas ocupadas: 25
Taxa de ocupação: 76%
Hospital Evangélico
Vagas existentes: 23
Vagas ocupadas: 23
Taxa de ocupação: 100%
Hospital do Idoso
Vagas existentes: 30
Vagas ocupadas: 24
Taxa de ocupação: 80%
Hospital do Trabalhador
Vagas existentes: 22
Vagas ocupadas: 20
Taxa de ocupação: 91%
Hospital de Reabilitação
Vagas existentes: 43
Vagas ocupadas: 32
Taxa de ocupação: 90%
São José dos Pinhais
Hospital Municipal
Vagas existentes: 10
Vagas ocupadas: 9
Taxa de ocupação: 90%
Campo Largo
Hospital do Rocio
Vagas existentes: 52
Vagas ocupadas: 48
Taxa de ocupação: 92%
Fonte: Secretaria Estadual de Saúde (SESA), com dados da CARE PR e ESAUDE

1 Comentário

  1. E os profetas da obviedade burra, aquele senso comum rastaquera dizem: ‘contamina todo mundo que passa’…
    Mas a que custo?

    Pena que o termo ‘imunidade de rebanho’ não tenha sido criado para referir-se ao ‘gado’ que fala tal coisa. Bem que poderia ter sido!

    Nem se sabe ainda se a Covid gera imunidade (pega uma vez, e depois nunca mais pega – pelo menos não a mesma cepa)….
    Nem isso ainda sabemos…!
    Não sejam irresponsáveis!

Comente