Uncategorized

Ala militar do governo fala
em ‘ministério de notáveis’

Incomodada com os desdobramentos imprevisíveis da prisão de Fabrício Queiroz, a ala militar do governo Bolsonaro começou a discutir a oportunidade de montar um “ministério de notáveis”.

A expressão remonta a 1992, quando Fernando Collor encarava denúncias de corrupção que levaram à abertura do processo de seu impeachment e à sua renúncia naquele ano.

O então presidente, acossado politicamente, adotou uma ideia do aliado Paulo Octávio do tempo de sua campanha: colocar figuras de proa em áreas estratégicas, com suporte de partidos do que hoje seria chamado centrão.

O líder do processo foi o mandachuva do PFL, Jorge Bornhausen, que assumiu a Secretaria de Governo. Não deu certo, como se sabe, e mesmo Collor viria a dizer em 2005 que era um “ministério de traidores”.

Agora, a situação seria diferente, disseram a interlocutores integrantes fardados do governo. A gestão Bolsonaro tem seus dois principais ministérios sociais, Saúde e Educação, ocupados por interinos, por exemplo. Logo, haveria uma janela de oportunidade para dar um “reset” no governo, na opinião dos generais palacianos. As informações são da Folha.

5 Comentários

  1. SERGIO SILVESTRE Responder

    Esse cara é muito pior que o Collor,e a herança desse vai ser pior que o confisco da poupança.

  2. O Collor era um estadista comparado ao Bolsonaro.
    Em 2018, falei que o Bolsonaro era uma fusão de Jânio Quadros e Collor….e que ele teria o mesmo fim do Collor…
    E que o Brasil iria virar uma Venezuela com o Bolsonaro…

    Infelizmente, eu estava certo.

  3. #ÉBomJaIrSeAcostiumando_ComOCrime….

    O siginificado verdadeiro desta hashtag da época das eleições.

  4. Isaias Andrade Responder

    Nossa esta tal de Ein covarde , pois não coloca seu nome, é a última bolacha do pacote, supra sumo da verdade, esperto, comentarista politico de respeito, entendido e professor de Deus, falou que nosso presidente eleito com 57.000.000 de votos era a fusão do Janio e Collor e que o Brasil seria uma Venezuela. parabéns autoridade supra sumo e da competência. Voce é demais e deve mesmo viver num pais como a Venezuela ou Cuba. Voce deve ser um dos que perdeu o cargo por ser petista e tem raiva da vida. Acorda bobão

Comente