Uncategorized

Secretário de Ratinho é cotado para assumir o Ministério da Educação

Andréia Sadi 

Integrantes do governo do presidente Jair Bolsonaro sondaram o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, para assumir o Ministério da Educação. A expectativa de aliados de Feder é a de que o governo anuncie a escolha já nesta terça-feira (23).

Na última quinta-feira (18), o ex-ministro Abraham Weintraub deixou o comando da pasta em meio a investigações do Supremo Tribunal Federal (STF) de fala dele em defesa da prisão de ministros da Corte e também de suposto crime de racismo cometido contra a população chinesa.

Segundo o blog apurou, o nome de Feder já está passando por um “pente-fino” da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), cujo objetivo seria averiguar a ficha de todos os candidatos a ingressarem no governo.

Feder, hoje, integra o governo de Ratinho Junior, do PSD. O governador do Paraná já avisou ao Planalto que dá sinal verde para o governo levar o seu secretário, descrito por aliados como um empresário do setor de educação, no qual ele tem experiência, oriundo de São Paulo. O nome dele também visa a agradar a comunidade judaica.

Se a indicação se confirmar, assessores do presidente acreditam que o nome de Feder poderá agradar ao Centrão, por vir de um governo de um partido do bloco.

Porém, parlamentares afirmam que será a segunda indicação para o comando de um ministério vinda do núcleo PSD: a primeira foi Fabio Faria.

2 Comentários

  1. Será que o presidente Bolsonaro sabe disso?
    UMA EMPRESA com sede numa sobreloja sem identificação na Região dos Lagos do Rio de Janeiro é a responsável por aplicativos usados por 7,1 milhões de alunos e professores de São Paulo, Paraná, Amazonas e Pará para aulas à distância. A empresa, pouco conhecida mesmo no meio em que atua, é ligada a políticos bolsonaristas e a um acusado de participar de uma rede de prostituição de menores de idade. https://theintercept.com/2020/06/15/app-empresa-tv-bolsonaro-aulas-online-pandemia/

Comente