Uncategorized

Greca nega lockdown e destaca transmissão familiar como causa do aumento de casos de coronavírus

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, participou de entrevista na manhã desta sexta-feira (26) na CNN Brasil, onde descartou a possibilidade de um lockdown na capital neste momento. Ainda, afirmou que não há colapso no sistema de saúde porque a estrutura hospitalar é robusta, principalmente pela ampliação de leitos com a reabertura do Hospital Vitória, que já recebe pacientes, e do Instituto de Medicina do Paraná, previsto para julho.

De acordo com Greca, a prefeitura vem trabalhando para evitar a bandeira vermelha, que seria o fechamento total da cidade. “Vamos nos esforçar para quebrar a cadeia de transmissão. Trabalhar com a população para que o isolamento social não seja doloroso. Temos a bandeira amarela, laranja ( que é a que vale no momento, com mais restrições) e a vermelha, que estamos trabalhando para evitar”, destacou o prefeito. As informações são da Banda B.

Segundo Greca, o aumento de casos se deu principalmente pelo relaxamento no isolamento social, o que resultou em uma cadeia de transmissão familiar. “Aqui em Curitiba a transmissão tem sido principalmente familiar. A turma resolver visitar a vovó, o que não se deve fazer, e acaba contaminando ela. Em uma família, jovens foram as baladas e almoçaram com a vovó, que em três dias estava morta”, destacou.

Além disso, o prefeito falou sobre a influência da chegada do inverno na capital. “Os casos triplicaram porque nossa situação foi confortável por 30 dias, com isso o vírus não foi transmitido. Com o inverno, as síndromes respiratórias se multiplicarami e aumentou a procura por leitos. Mas não há colapso, porque o sistema de saúde de Curitiba é robusto”, ponderou.

Sobre o sistema de saúde, Greca comentou a respeito dos novos leitos abertos. “Estou abrindo dois novos hospitais, que estavam fechados, o Vitória, com 140 leitos, sendo 40 de UTIs, e o Instituto de Medicina do Paraná, com 110 leitos, sendo 50 de UTIs. Multiplicamos as UTIs em dez dias”, concluiu o prefeito.

Comente