Uncategorized

Curitiba será a capital mais segura do Brasil, diz Francischini

Blog do Tupan – O candidato Fernando Francischini (PSL) anunciou a criação de um auxílio emergencial para socorrer os curitibanos em 2021 durante o debate inaugural das eleições para prefeitura Curitiba. O evento desta quinta-feira (1), na Band, permitiu aos leitores conhecerem melhor as propostas do candidato que quer cuidar das pessoas.

Dando continuidade ao socorro federal garantido pelo presidente Jair Bolsonaro, Francischini quer ajudar a população mais necessitada. “Vou usar o fundo de reserva, do qual o atual prefeito deu R$ 200 milhões para ajudar seus amigos do transporte coletivo”, afirmou.

Disputando a sua primeira eleição majoritária, Fernando Francischini também defendeu a segurança pública. Com passagem pelo Exercito Brasileiro, Polícia Militar do Paraná e como delegado da Polícia Federal, ele garantiu ter “um currículo e uma história que trazem conhecimento e experiência para tornar Curitiba a capital mais segura do Brasil”.

“Curitiba não é uma cidade para amadores, me sinto pronto para cuidar das pessoas neste pós-pandemia e para a mudança, acabando com os grupos políticos que se revezam na gestão da cidade há anos”, garantiu.

Francischini ficou satisfeito com a atuação ao lado dos concorrentes. “Parabéns à Band pelo espaço democrático, foi um excelente debate”, elogiou. “Fui o deputado estadual mais votado da história e tenho uma grande responsabilidade de honrar 427 mil votos”, declarou. “Firmo um compromisso de cuidar de Curitiba, trabalhar pelas pessoas, dar oportunidade aos jovens, para que as mulheres sejam respeitadas e dar atenção aos idosos”, anunciou.

Auxílio Curitiba – Francischini falou do seu trabalho para criar um plano de governo para a nova realidade após a crise criada pelo coronavírus. “Quero dar continuidade ao auxilio para ajudar quem está desempregado a buscar uma nova vaga, se requalificar, para que possa cuidar da sua família. Quem passa fome e está na fila do emprego sabe o que estou falando. Quero cuidar das pessoas”, reforçou.

O auxílio deverá ser usado dentro do bairro para movimentar o comércio e gerar um círculo virtuoso.

Sistema de Inteligência – “Quero proteger as famílias curitibanas. A muralha digital do atual prefeito não saiu do primeiro tijolo”, cobrou Francischini. Como prefeito ele quer criar um super sistema de inteligência, integrando câmeras públicas e privadas com sistema de reconhecimento para identificar criminosos condenados e até carros furtados ou roubados que circulem pela cidade.

“Quero acabar com a sensação de impunidade. Estarei nas ruas, ao lado do meu secretário de Defesa Social e prestigiando a nossa Guarda Municipal”, disse.

Saúde e escolas – Francischini citou o período de oito anos como deputado federal quando foi responsável por várias emendas individuais para a saúde em Curitiba, principalmente em hospitais e para compra de equipamentos.

“Como deputado estadual, criei emendas individuais para a reforma de 12 escolas de Curitiba. Meu compromisso é com a infraestrutura e agora precisamos olhar para os professores. Valorizar os heróis da saúde que estão na linha de frente e o professores”, declarou.

Anticorrupção – Fernando Francischini defendeu a transparência nos gastos públicos e anunciou a implantação e de um compliance externo para acompanhar e investigar a própria prefeitura de Curitiba. “Quero que um conselho externo de notáveis da nossa sociedade escolham uma empresa para acompanhar todos os meus atos e dos meus secretários”, afirmou. Francischini anunciou a escolha de profissionais técnicos, e não políticos, para compor os quadros da prefeitura.

Eleição – Além de Francischini (PSL), estiveram no debate João Arruda (MDB), Marisa Lobo (Avante), Professor Mocellin (PV), Paulo Opuszka (PT), João Guilherme (Novo) e Camila Lanes (PCdoB). Outros oito candidatos farão outro debate no dia 14 de outubro.

Atual mandatário, Rafael Greca, do DEM, não quis participar do debate. A recusa foi anunciada antes mesmo de ele declarar que estava com covid no domingo passado.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, as eleições municipais foram adiadas para 15 de novembro e 29 do mesmo mês, em caso de segundo turno.

2 Comentários

  1. Povo CURITIBANO
    pense bem antes de votar nesse lixo…foi ele Beto Lixo q meteu bomba e bala de borracha nos funcionarios publico em 29 de marco..PENSE BEM ANTES DE VOTAR.
    ALVARO DIAS…..bateu nos professores..
    Beto Lixo bateu nos professores
    Francischini tambem bateu…

Comente