Uncategorized

A volta do Ibope, inconfiável
depois de muitos erros

Depois dos enganos vexaminosos da última eleição, o Ibope volta à Curitiba patrocinado pela RPC. Promete dar, sem erro, na edição da noite, as posições de largada na disputa eleitoral deste ano que tem 16 candidatos a prefeito de Curitiba. Mas como confiar no instituto que é recordista de erros calamitosos em seus levantamentos?

Na última eleição para o Senado, Roberto Requião figurou do início ao fim em primeiro lugar. Não chegou nem em segundo. Aliás, o segundo era Beto Richa, que não ficou nem em terceiro. Resultado: foram eleitos dois azarões: Oriovisto Guimarães e Flávio Arns.

Não foi essa a primeira lambança do Ibope. Na última para prefeito, Ney Leprevost estava em sexto lugar em todas as pesquisas Ibope e acabou em segundo, indo para o segundo turno contra Rafael Greca.

Para o Ibope, quem iria para o segundo turno seria o então prefeito Gustavo Fruet. O Ibope só anunciou que ele tinha sido alijado da disputa final na pesquisa de boca de urna, feita depois das eleições.

O problema é que o Ibope, mesmo errando tanto, acaba exercendo influência na definição do voto dos indecisos, que ainda são maioria. Assim, virá instrumento de propaganda eleitoral através da desinformação.

4 Comentários

  1. Pelo jeito os candidatos não vão querer aparecer em primeiro na pesquisa do Ibope, tudo indica que serão os últimos nas urnas, pois os eleitores estão arredios com pesquisas tendenciosa .

Comente