Uncategorized

“O vírus está em todo lugar
na França, teremos esse vírus até o verão de 2021,” diz Macron

Emmanuel Macron

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse, nesta quarta-feira, 14, em pronunciamento sobre o decreto de estado de emergência de saúde pública por causa da segunda de Covid-19 no país, que “o vírus está em todo lugar na França”. O governo francês impôs um toque de recolher e Macron avisou que quem não respeitá-lo será multado.

Quem desrespeitar o toque de recolher receberá multa de 135 euros e, em caso de reincidência, o valor será de 1500 euros. O toque de recolher inicia no sábado, 17, e durará entre o período de 21h e 6h do dia seguinte.

Macron ainda disse que “teremos esse vírus até o verão de 2021”. O verão no país ocorre quando é inverno no Brasil. Portanto, ele anunciou que a pandemia do novo coronavírus na França deve durar até os meses de junho, julho e agosto. Ele, porém, anunciou que o estado de emergência deve ocorrer até 1º de dezembro, se for autorizado pelo Parlamento.

O país havia reaberto sua economia em julho deste ano, após meses numa situação crítica; o último decreto de urgência sanitária terminou em 10 de julho. Agora, três meses depois, após a segunda onda de Covid-19 que atinge os países europeus, decidiu restabelecer a situação a partir do dia 17 deste mês.

Ele ainda destacou que os profissionais de Saúde do país estão “muito desgastados” e que faltam leitos para tratar os pacientes nos hospitais. Também, Macron disse que os trabalhos essenciais serão mantidos, assim como os transportes. O presidente francês declarou que os trabalhadores que voltarão para casa ou irão trabalhar durante o período do toque de recolher necessitarão de autorização para circular.

Ademais, foi imposto um limite de seis pessoas para reuniões presenciais ou para a utilização da restaurantes fora do tempo do toque de recolher.

Desde o início da pandemia, a França registrou 779.063 casos de Covid-19 e 33.037 óbitos em decorrência da doença. No último dia 12, foram registradas mais de 26 mil novas pessoas infectadas pelo coronavírus. (Sem Mordaça)

1 Comentário

  1. Uau aqui não acabou nem a primeira onda e na Europa eles já estão vivendo a segunda. As viagens à terra do Macron ficarão para depois de 2022, se é que até lá as prometidas vacinas funcionem mesmo.

Comente