Uncategorized

Francischini propõe
reduzir custo dos táxis

Candidato do PSL teve encontro com representantes dos taxistas hojeO candidato do PSL à prefeitura de Curitiba, deputado estadula Fernando Francischini, defendeu hoje rever as exigências para o funcionamento dos táxis na Capital paranaense. Ele propõe reduzir taxas, retirar a cobrança da outorga dos motoristas e mais igualdade entre os prestadores de serviço. As propostas foram apresentadas em um encontro convocado pelo Comitê de Crise do Serviço de Táxi, com representantes de várias centrais hoje.

Francischini reconhece que chegada dos aplicativos de transporte abalou profundamente o trabalho dos taxistas. Reféns de altas taxas e regulamentação exigente, a desigualdade de competição se instalou inviabilizando a atividade e o sustento de muitos motoristas, avalia ele. “Não vou fazer um discurso populista para vocês e dizer que vou acabar com os aplicativos. Seria hipócrita, querendo remar contra o que está acontecendo no mundo inteiro. Mas precisamos recuperar o trabalho dos taxistas, fazer ressurgir um setor importante com mais igualdade”, afirmou Francischini. As informações são do Bem Paraná.

“A regulamentação é exagerada, com taxas altíssimas. Vemos os taxistas desanimados muitas vezes abandonando um serviço que é um símbolo de segurança para os clientes”, defendeu. “Temos muitas propostas audaciosas para a retomada. Criar um nivelamento de mercado para a mesma condição de competitividade, começando pela retirada da outorga anual (que hoje é de R$ 1.350). Posso apanhar muito por essa proposta. Mas não tenho medo de fazer e vou fazer a partir de 1 de janeiro”, explicou.

O candidato citou ainda exigências desnecessárias que podem ser revistas e incomodam os taxistas, como o tipo de roupa exigida durante o trabalho, que gera um custo a mais. Em seu plano de governo, Francischini propõe ainda a criação de um aplicativo da prefeitura que vai reunir todas as informações de transporte. “O passageiro vai saber tudo para o seu deslocamento, quando vai custar cada viagem se for de aplicativo, táxi e ônibus poderá agendar antecipadamente, dividir uma corrida para ver o que mais vale a pena”, afirmou.

Francischini pediu sugestão aos taxistas e também ouviu que a categoria foi esquecida pelo prefeito Rafael Greca, diz ele. Os motoristas não discutem o funcionamento ou não dos aplicativos de transporte, mas questionam a necessidade de orientação e regulamentação do serviço, afirma o candidayto.

O Comitê de Crise reúne ainda a Associação dos Taxistas Profissionais, Mega Táxi e App Táxi 10.

2 Comentários

  1. Outorga de R$1350 é muito para o deputado-delegado? Ele com certeza se esqueceu de que Curitiba não tem nem 3.000 táxis, ou seja, é um verdadeiro cartel, se é que o candidato sabe o que isto significa. Táxi é coisa do passado, só dava lucro porque se tratava de um privilégio, os aplicativos acabaram com o táxi. Entendo a demagogia do candidato mas duvido muito que ele consiga implementá-la caso eleito, coisa que é mais difícil do que fazer o povo voltar atrás no uso dos aplicativos.

  2. Ola, boa tarde. Tudo bem com vcs?
    Seria possível comparar quanto se pagava de ISS e quanto estão pagando os aplicativos?? Acho q essa informação é bastante esclarecedora..

Comente