Uncategorized

Chamada digital acompanhará frequência do aluno

Segundo Francischini, estudante na sala de aula não fica exposto a situações de conflito social

A chamada digital nas escolas é mais uma das inovações do plano de governo de Fernando Francischini à frente da prefeitura de Curitiba. A novidade vai substituir a chamada tradicional e possibilitar o acompanhamento da frequência dos alunos na sala de aula.

O sistema vai funcionar dentro de uma rede de educação integrada, na qual às famílias poderão ser conectar à escola por meio dos equipamentos eletrônicos convencionais, como tablets e celulares.

Para tanto, o usuário precisa estar cadastrado no Cartão Cidadão, que lhe dará acesso a uma série de informações, como o histórico escolar do aluno, a frequência às aulas, programação de atividades extracurriculares e notas dos exames
escolares.

“Teremos um ambiente de maior interação comunidade/escola. Vamos viabilizar o acompanhamento dos pais, da rede de proteção da criança e do adolescente e dos responsáveis à distância, além da eliminação das filas de matrícula”, salienta Francischini.

O candidato reforça que a frequência dos alunos na sala de aula é um objetivo muito importante a se perseguir para um administrador público. “O aluno na sala de aula não fica exposto a situações de conflito social”, enfatiza.

Os pais poderão ser alertados da ausência do filho em tempo real, e nos casos mais severos onde as faltas se repetirem, toda rede de proteção ao menor (pedagoga do colégio, conselho tutelar, ministério público, assistente social,…) será alertada para adoção de providências e resolução do problema.

“O aluno que estiver fora da sala de aula terá acompanhamento detalhado, para garantir seu desenvolvimento”, explica Francischini.

Ouvidoria permanente com os pais

Ainda dentro das propostas de inovações para o ensino presencial e à distância, o candidato do PSL à Prefeitura de Curitiba afirma que as escolas serão incentivadas a praticar uma ouvidoria permanente com os pais.

“O envolvimento deles nos problemas das escolas, a reflexão quanto a possíveis soluções e a participação em mutirões de ajuda (como coleta de mantimentos, agasalhos, reformas, doações e atividades recreativas) é não somente desejável, mas será parte de uma diretriz municipal para as diretorias das escolas”, observa.

Cartão Cidadão na educação dos curitibanos

O Cartão Cidadão vai concentrar todas as informações individuais e serviços da prefeitura. Todas as ações estarão conectadas por essa plataforma, compondo uma rede integrada de dados, informatizada e digitalizada, na palma da mão de cada curitibano.
“É um simples cartão, mas quem quiser pode baixar um aplicativo no celular, pode usar biometria. Nós teremos um banco de dados únicos na prefeitura que, quando ele for no posto de saúde, é o mesmo banco de dados que terá um prontuário para acesso de médicos. Na educação, saberemos quantos filhos, qual idade escolar de cada um, para que haja um planejamento educacional, matrículas e escolas perto, sem aquelas imensas filas”, concluiu Francischini.

Comente