Uncategorized

Sérgio Camargo fixa
diretriz para “moralizar” lista
de personalidades negras

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, assinou portaria que define as diretrizes para a seleção e publicação, no site do órgão, de nomes e biografias das personalidades notáveis negras, que historicamente contribuíram para a formação e desenvolvimento dos valores culturais, sociais e econômicos no Brasil ou no mundo.

Segundo Sérgio Camargo, a portaria “moraliza a lista de personalidades negras”, que será selecionada pela diretoria colegiada da Fundação Palmares.

“O critério de seleção passa a ser a relevante contribuição histórica. Haverá exclusão de vários nomes. Novas personalidades serão incluídas em razão do mérito e da nobreza de caráter”, disse no Twitter.

A portaria (íntegra – 73 KB) foi publicada nesta 4ª feira (11.nov.2020) no Diário Oficial da União.

O texto entra em vigor em 1º de dezembro, quando serão divulgadas todas as exclusões de nomes, assim como todas as novas personalidades negras, que, segundo Sérgio Camargo, foram “negligenciadas”. Segundo a portaria, a publicação dos nomes no site da fundação “será uma homenagem póstuma a personalidades”. As informações são do Poder360.

No Twitter, Sérgio Camargo disse nessa 3ª feria (10.nov.2020) que iria divulgar a lista dos nomes. Em 13 de outubro, ele já havia anunciado que uma das pessoas excluídas da lista de personalidades negras era Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente e ex-senadora.

Já nessa 4ª feira (11.nov), o presidente da Fundação Palmares anunciou, também por meio do Twitter, que entre os novos nomes que serão incluídos na lista de personalidades notórias negras estão:

  • Antônio Carlos Bernardes Gomes – conhecido como Mussum, ele foi 1 ator, humorista, músico, cantor e compositor brasileiro. Como humorista, fez parte do célebre quarteto de “Os Trapalhões”, antigo programa de comédia da Rede Globo. Morreu em 29 de julho de 1994, aos 53 anos.
  • Wilson Simonal – foi 1 cantor e compositor brasileiro de sucesso nas décadas de 1960 e 1970 e foi considerado o “rei do suingue”. Comandou 1 programa na TV Tupi, o “Spotlight”, e 2 programas na TV Record, “Show em Si… Monal” e “Vamos S’imbora”. Morreu em 25 de julho de 2000, aos 62 anos.
  • Luiz Carlos dos Santos – conhecido como Luiz Melodia, foi 1 ator, cantor e compositor brasileiro de MPB, rock, blues, soul e samba. Era filho do sambista e compositor Oswaldo Melodia, de quem herdou o nome artístico. Morreu em 4 de agosto de 2017, aos 66 anos.
  • João Carlos de Oliveira – conhecido como João do Pulo, foi 1 atleta, especializado em saltos, sendo ex-recordista mundial do salto triplo, medalhista olímpico e tetracampeão panamericano no triplo e no salto em distância. Morreu em 29 de maio de 1999, aos 45 anos.

EXCLUSÃO DE MARINA SILVA

Em 13 de outubro, Camargo anunciou no Twitter que a ex-ministra do Meio Ambiente e ex-senadora Marina Silva (Rede) foi excluída da lista de personalidades negras do órgão porque “não tem contribuição relevante para a população negra do Brasil”.

“Marina Silva foi excluída da lista de personalidades negras da Fundação Cultural Palmares. Marina não tem contribuição relevante para a população negra do Brasil. Disputar eleições não é mérito. O ambientalismo dela vem sendo questionado e não é o foco das ações da instituição”, afirmou em publicação.

Horas depois, o presidente da Fundação Palmares fez novas publicações e afirmou que a exclusão do nome de Marina foi feita considerando os critérios de “decência, dignidade, reputação ilibada, relevância histórico-cultural e mérito do homenageado”. “Eram escolhas políticas que não refletem a verdadeira história do negro”, disse.

Depois do anúncio de Sérgio Camargo, o partido de Marina Silva, o Rede Sustentabilidade, divulgou uma nota de repúdio às afirmações feitas por ele.

“A Rede Sustentabilidade vem a público repudiar tal ataque a nossa história, em especial à história dos negros no país, à nomeação de pessoas a quem falta competência para compreender e cumprir a missão institucional dos órgãos para os quais foram nomeados”, diz 1 trecho da nota.

O partido destacou o currículo de Marina Silva: “É uma brasileira que tem em seu currículo mais de 60 honrarias: prêmios, títulos, reconhecimentos”. Disse ainda que a opinião de Camargo “não tem a menor relevância para os critérios de quem a reconheceu como digna dos prêmios”.

Pelo Twitter, Marina agradeceu as mensagens de solidariedade e apoio. Ela afirmou que “quem julga o valor da contribuição de uma pessoa à sociedade é a própria sociedade e a sabedoria da história”.

A ex-ministra do Meio Ambiente também disse que “a história não é feita por aqueles que têm uma visão autoritária e que eventualmente estão no poder, mas por aqueles que persistem na democracia e nos valores da civilização”.

O ex-deputado federal Jean Wyllys, que atua como professor nos Estados Unidos, classificou Camargo como “1 desqualificado”.

“As decisões administrativas de 1 desqualificado não mudam a maneira como me identifico tampouco a etnia de meus antepassados por parte da família de meu pai, fator sobre o qual ele não tem nenhuma autoridade para se manifestar. Eu sigo sendo o que sou”, escreveu no Twitter.

Comente