Uncategorized

Homem da terra: general
Silva e Luna é reconhecido
como cidadão honorário

Entrega do título foi na Câmara Municipal, nesta manhã de terça-feira (24). Honraria é um reconhecimento aos impactos positivos de sua gestão na região

Desde que foi nomeado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, para comandar a margem brasileira da Itaipu Binacional, em fevereiro de 2019, o general Joaquim Silva e Luna veio decidido a morar em Foz do Iguaçu. “Desde que aqui cheguei, nunca me senti um estranho. Senti que era de casa, graças à maneira calorosa dessa nossa gente”, afirmou o diretor-geral brasileiro nesta manhã de terça-feira (24), ao agradecer pelo título de Cidadão Honorário de Foz, concedido pela Câmara Municipal de Vereadores.

Ao se dirigir ao público, chamou os presentes de conterrâneos, mostrando a sinergia com a população de Foz e região. Para o evento, levou dez pessoas da equipe representadas por todas as diretorias de Itaipu. Uma forma de homenagear a todos os empregados da usina. A parte protocolar ficou a cargo da Câmara.

A cerimônia foi privativa, em função das medidas sanitárias da pandemia de covid-19, e contou com transmissão ao vivo nas páginas da Câmara nas redes sociais. A concessão do título é uma iniciativa do vereador Beni Rodrigues, presidente nesta legislação, em reconhecimento pelos relevantes serviços prestados pelo diretor – o primeiro a ocupar esse cargo que optou por fixar residência em Foz.

A gestão de Silva e Luna à frente da margem brasileira da Itaipu é caracterizada pela administração rigorosa dos recursos da empresa, com o intuito de transformar os megawatts-hora (MWh) produzidos com eficiência pela usina em desenvolvimento, geração de emprego e renda, com forte marca de legado para a região.

Ao fazer um retrospecto de um ano e dez meses na função, ele diz: “De imediato, estabelecemos uma política de austeridade e transparência. Trouxemos toda a direção e o centro de gravidade da empresa para Foz. Reduzimos o escopo de alguns convênios e patrocínios e encerramos os que não tinham aderência à missão da Itaipu. Centralizamos estruturas replicadas, reduzimos despesas evitáveis, melhoramos a governança e criamos um forte espírito de equipe”.

Como resultado desse novo enfoque, a empresa direcionou R$ 1,4 bilhão a diversas ações, alinhadas com os governos federal, estadual e municipal. Entre as principais iniciativas estão a Ponte da Integração (segunda ponte entre Brasil e Paraguai), obras no Aeroporto de Foz do Iguaçu, ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, Mercado Municipal, revitalização do Gramadão, duplicação da Rodovia das Cataratas, o projeto Vila A Inteligente, além de ações de apoio turismo e combate à pandemia de covid-19.

Além dos projetos estruturantes, o diretor afirmou que as mudanças na empresa, como a otimização dos recursos e maior sinergia entre as áreas, têm como objetivo preparar a Itaipu para o cenário pós-2023, em que a dívida contraída para a construção da usina estará paga, e ela se verá em um mercado de energia cada vez mais complexo, dinâmico e competitivo.

“A ltaipu é um exercício de busca permanente de convergências e de construção de consensos; é um fator de desenvolvimento regional; é uma fronteira que une dois povos; é um símbolo de amizade e confiança”, resumiu Silva e Luna, que nasceu em Barreiros (PE) e chegou à Itaipu após extensa carreira nas Forças Armadas, alcançando o cargo de chefe do Estado-Maior do Exército (2011-2014). Já na reserva, ocupou o posto de ministro da Defesa (2018-2019).

Ao agradecer pelo título de Cidadão Honorário, Silva e Luna estendeu a homenagem a todos os empregados da Itaipu, “do passado e do presente”. Ao homenagear o diretor, o vereador Beni Rodrigues destacou o fato de a proposta ter sido acatada por unanimidade na Câmara. “Me sinto muito honrado em conceder este título a uma pessoa que está fazendo tanto por Foz do Iguaçu. Toda a região tem muito a ganhar com a sua experiência, com a sua luta e com sua equipe de trabalho da Itaipu Binacional. Tenho certeza que nossa Foz, graças à atual gestão da usina, será a cidade do futuro”, afirmou.

Representando o corpo funcional da Itaipu, a cerimônia contou com a participação do diretor Administrativo, almirante Paulo Roberto da Silva Xavier; do assessor de Planejamento e Coordenação, Victor Hugo Marmelo dos Passos Filho (representando o diretor Financeiro, almirante Anatalico Risden Junior); do assistente do diretor Técnico Executivo, Juliano Portela (representando o diretor Celso Villar Torino); do assessor especial Theófanes de Lira Pessôa Junior (representando o diretor de Coordenação, general Luiz Felipe Carbonell); do assistente Aldry Lucena (representando a diretora Jurídica, Mariana Favoreto Thiele); do chefe de gabinete da Diretoria-Geral (DG) Brasileira, coronel Ricardo Bezerra; do assessor especial da DG, coronel Jorge Áureo Ferreira; pelo assistente da DG, capitão Arceli de Oliveira; pela assessora especial da DG, Carina Ferreira de Paula; pela chefe da Assessoria de Comunicação, Patrícia Iunovich, e pela secretária do diretor Silva e Luna, Mariza da Silva Guimarães.

1 Comentário

  1. Parece que ainda existem pessoas sérias nesse país ( de terceiro mundo – se for – e piada no exterior), independentemente de partidos políticos.
    O Senhor Silva e Luna me representa.
    Parabéns!

Comente