Uncategorized

Paraná precisa de um plano estadual de vacinação contra a covid-19, defende Michele Caputo

O deputado Michele Caputo (PSDB), coordenador da Frente Parlamentar do Coronavírus, disse nesta quinta-feira, 26, em São Paulo, que o Paraná precisa estar preparado desde já para receber as doses da vacina contra a covid-19 e defendeu um plano estadual de vacinação. “A frente parlamentar fará uma última reunião esse ano e vamos entregar um relatório com sugestões que julgamos importantes porque o Paraná precisa estar preparado. O Paraná precisa de um Plano Estadual de Vacinação contra a COVID-19 o mais rápido possível”, afirmou Michele Caputo após visita técnica ao Instituto Butantan, junto com o deputado Alexandre Amaro (Republicanos).

Segundo ele, o Paraná precisa adquirir seringas e agulhas, “porque daqui a pouco se tem a vacina e não vamos achar esses itens no mercado. Precisamos estar monitorando isso, precisa ter um planejamento antecipado, é possível e necessário que se faça isso”, alertou.

Caputo e Amaro foram recebidos pelo diretor do instituto, Dimas Tadeu Covas, e recebeu informações sobre detalhes da produção da vacina em parceria com laboratório Sinovac. “Recebemos informações de várias ordens, quantitativos, estimativa de preços, possibilidades de compra e venda. A previsão de produção é em torno de 46 milhões em janeiro, chegando até cerca de 100 milhões em maio. Se depender do Butantan será colocado tudo isso a serviço do Programa Nacional de Imunizações, ou seja, à disposição de todos os Estados através do SUS”.

Recursos – O Paraná, reafirmou o deputado, tem a disponibilidade de colocar R$ 200 milhões para compra das vacinas – R$ 100 milhões da Assembleia e outros R$ 100 milhões previstos no orçamento do Executivo para 2021. “O ideal seria que o Ministério da Saúde comprasse as vacinas e entregasse aos estados e se os governos estaduais precisassem complementar, além dos prioritários, podem e devem fazê-lo”.

O Estado, diz ainda Michele Caputo, pode optar pela assinatura de um protocolo de intenções com o instituto. “Isso não amarra a necessidade de compra nem hoje, nem amanhã, mas mostra uma boa vontade e o Paraná com isso sai na frente. O Butantan vai reafirmar o interesse em ter essa parceria, esse protocolo de intenções, mas é uma decisão do Executivo, nós vamos, como poder legislativo, só recomendar”, completou Michele Caputo.

O deputado confirmou também outra reunião nesta sexta-feira, 27, em São Paulo, com a diretoria da farmacêutica multinacional Pfizer. A Pfizer e a BioNTech firmaram um acordo para o desenvolvimento e distribuição conjunta de vacina de prevenção às infecções causadas por covid-19, a BNT162.

Na próxima semana também está prevista uma visita à Fiocruz, no Rio de Janeiro, que será responsável pela produção da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford (Reino Unido), em parceria com a Astrazeneca. Na última semana, Caputo também esteve no Tecpar, que tem tratativas para realizar testes e produzir a vacina russa Sputinik V.

1 Comentário

  1. Apoiado deputado, o Estado precisa correr porque do MS não pode esperar nada, o negacionismo tem uma forte simpatia por lá, começando pelo ministro.

Comente