Uncategorized

Pazuello muda de tom e diz que vacinação contra Covid-19 pode começar em dezembro

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello Foto: Pablo Jacob / Agência O GloboO ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou, nesta quarta-feira (9), que a vacinação contra Covid-19 pode começar em dezembro ou janeiro. Em entrevista à CNN Brasil, Pazuello afirmou que caso a Pfizer consiga adiantar a encomenda de sua vacina candidata contra o novo coronavírus, o início da imunização poderá acontecer em breve. Segundo ele, 500 mil doses da vacina da Pfizer serão entregues em janeiro.

“Se a Pfizer conseguir a autorização emergencial e a Pfizer nos adiantar alguma entrega, isso (o início da vacinação) pode acontecer no final de dezembro ou em janeiro. Isso em quantidades pequenas, de uso emergencial”, afirmou Pazuello na entrevista.

Em pronunciamento na terça-feira, o ministro já havia dito que a previsão era para que as primeiras doses da vacina da Pfizer chegassem ao Brasil em janeiro. Na entrevista, o ministro afirmou que o uso dessas doses seria possível com autorização emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O registro em si é um procedimento mais demorado, que pode levar 60 dias.

O ministro afirmou que fora a autorização de uso emergencial, com a obtenção dos registros na Anvisa, mais vacinas estarão disponíveis para aplicação.

” Isso (conclusão da fase 3 de estudos) deve acontecer final de dezembro e o início da avaliação da Anvisa, que na primeira oportunidade vai apresentar o registro. Se esse registro chegar para nós em janeiro, já teremos doses da Pfizer e da Astrazeneca entregues. Se o Butantan já tiver o registro, teremos a do Butantan também”, afirmou o ministro.

Segundo Pazuello, o Ministério da Saúde está fechando acordos para viabilizar a logística da distribuição de vacinas.

” Hoje estamos fechando a malha de distribuição com os acordos com as companhias aéreas, a partir daí os estados recebem, entram nas suas etapas, fazem a ações nas capitais e fazem a distribuição para o interior, até os municípios, que executam efetivamente a vacinação”, disse. (O Globo)

Comente