Uncategorized

Agora Bolsonaro quer centralizar distribuição de vacinas


Para recuperar protagonismo, depois de uma temporada de negacionaismo e de manibras para protelar a vacinação. Bolsonaro pretende editar uma Medida Provisória (MP) para requisitar vacinas autorizadas, registradas e produzidas no Brasil. O documento é uma ferramenta para centralizar no Ministério da Saúde a vacinação contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

A informação foi adiantada na sexta-feira (11) pelo ocupante do cargo de ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, ao governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), em Goiânia. A informação surgiu um dia depois que o governador de São Paulo, João Doria, anunciou o início da produção da Coronavac pelo Instituto Butantan.

Caiado usou as redes sociais para comentar os planos do governo federal. “Toda e qualquer vacina registrada, produzida ou importada no país será requisitada, centralizada e distribuída aos estados pelo Ministério da Saúde. Nenhum Estado vai fazer politicagem e escolher quem vai viver ou morrer de covid-19”, escreveu.

Segundo o governador goiano, o ministro afirmou que fechou a compra de 70 milhões de doses da vacina da Pfizer. Em janeiro, virão 500 mil doses para começar a vacinação do grupo de risco em todos os Estados. (Metrópoles).

4 Comentários

  1. Não há o que agrade o partido do vírus. Sempre tem um senão, um diz que diz… A turma do vírus quer passo de ganso, braços estendidos para a vacina obrigatória e o bater de calcanhares com botas pretas.

  2. Gaudério do Piquiriguaçu Responder

    Ele pode “confiscar” as vacinas sino-paulistas do Butantã (ou do Doria, se quiserem). Mas o Supremo vai mandar devolver…

  3. Meu Deus do céu, o Pinóquio e a sua claque querem o protagonismo agora que o fim da tragédia se aproxima, pois a vacina é o início do fim desta desgraça toda . Só estava faltando esta mesmo, o Pinóquio e os seus tendo o privilégio de distribuírem a vacina pelo País afora, como os redentores, os salvadores. Se o J. Messias editar tal MP vai passar da conta, será o fim da picada, sem querer fazer trocadilho.

Comente