Uncategorized

Conselho de Ética arquiva denúncia contra Fabiane Rosa

Fabiane Rosa: presa em 27 de julho, vereadora responde processo em prisão domiciliarPor 4 votos contrários e 3 favoráveis, o Conselho de Ética da Câmara de Curitiba decidiu hoje arquivar a denúncia contra a vereadora Fabiane Rosa (sem partido), acusada pelo Ministério Público de desviar parte dos salários de ex-assessores, em um esquema conhecido como “rachadinha”. O conselho rejeitou relatório proposto pelo relator Marcos Vieira (PDT) e pela vice-relatora Professora Josete (PT), que recomendava a cassação de mandato e a perda de direitos políticos parlamentar.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, dez ex-funcionários da vereadora foram obrigados a devolver parte dos salários. Duas pessoas ainda teriam sido exoneradas por não concordarem com a devolução.  No dia 27 de julho ela foi presa pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná (MP-PR), mas hoje responde o processo em prisão domiciliar.

A vereadora foi expulsa do PSD, partido do qual fazia parte e está afastada das funções públicas desde o dia 3 de setembro, após decisão da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

Para que o relatório fosse aceito e votado pelos 38 parlamentares, era necessária a maioria absoluta de votos dos nove integrantes do Conselho, ou seja, cinco votos favoráveis. A vereadora Maria Leticia (PV) foi a única a acompanhar a opinião dos relatores Marcos Vieira e Professora Josete e votou pelo prosseguimento da denúncia. Os demais integrantes, Paulo Rink (PL), Toninho da Farmácia (DEM), Dona Lourdes (PSB) e Geovane Fernandes (Patriota), votaram contra o relatório.

O presidente do Conselho de Ética, Bruno Pessuti (Pode), que está com Covid-19, não participou da votação, bem como o vereador Rogério Campos (PSD).
Fabiane Rosa é acusada de praticar o esquema de “rachadinha” em seu gabinete, que consiste na exigência de devolução de parte do salário de servidores comissionados para permanência no cargo.

Fabiane Rosa, que tentou a reeleição, mas não obteve sucesso, escapou de uma punição na Câmara de Curitiba, mas seu processo segue em trâmite de justiça em outras esferas. (Bem Paraná)

2 Comentários

Comente