Uncategorized

Primeiro lote de vacinas imunizará
só 1,1% da população paranaense


A primeira carga de vacinas contra o novo coronavírus finalmente chegou ao Paraná. E segundo o planejamento da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa-PR), com as mais de 265 mil doses repassadas pelo Ministério da Saúde será possível vacinar 1,1% da população paranaense, com a imunização de 126.204 indivíduos – entre trabalhadores de saúde que atuam em Serviços de Saúde (a chamada “linha de frente”), indígenas em terras demarcadas, pessoas idosas institucionalidades e pessoas com deficiência em instituições inclusivas.

Conforme o Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19, com a primeira carga de vacinas serão imunizadas, ao todo, 126.204 pessoas. Será possível, então, vacinar todas as pessoas com 60 anos ou mais que estão institucionalizadas e também todos os indígenas em terras demarcadas no Paraná. Já entre os trabalhadores de saúde, 102.960 serão vacinados agora, mas ainda ficará faltando a vacinação de quase 170 mil profissionais, que deverão ser imunizados nas próximas etapas da vacinação.

Ao longo de todo o ano, considerando os grupos prioritários, o Paraná pretende vacinar o total de 4.019.115 pessoas, o equivalente a 34,9% dos 11,52 milhões de habitantes do estado. Ainda assim, espera-se que já seja o suficiente para ao menos amenizar a crise sanitária e reduzir consideravelmente a circulação do vírus, conforme expressou na tarde de ontem, ao retornar de São Paulo, o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto.

“Momento de muita emoção para toda a equipe da Saúde do Paraná. Até aqui uma luta insana, muitas perdas, mas estamos recebendo o primeiro lote de vacinas, as coisas devem melhorar e vamos continuar o nosso trabalho”, disse o gestor público.

No que diz respeito ao primeiro lote de vacinas, a Região Metropolitana de Curitiba (RMC) deve receber o maior número de doses, imunizando um total de 37.360 pessoas. Na sequência aparecem a regional de Londrina, que poderá imunizar 13.320 pessoas, e as regionais de Maringá (8.880) e Cascavel (7.851).

2 Comentários

  1. O Ratinho Jr em São Paulo marcou a Fiocruz nas redes e só retirou depois de muitas críticas, mas não colocou o Butantan que estava fornecendo a vacina. Inveja do Doria ou medo do Bozo?

  2. É broxante todo este foguetório na mídia para um porcentual ínfimo de vacinação. A montanha pariu um rato. Politicos são ratos.

Comente