Uncategorized

O acanhado “atacadão” invisível que fornece de tudo para o governo


A longa lista de produtos mencionados no Portal da Transparência faria supor uma grande loja de departamentos, um enorme atacado com diversas seções. Mas é de três acanhadas salas vizinhas em um subsolo de um prédio comercial no Setor Sudoeste que saiu, desde 2012, uma variedade imensa de produtos vendidos ao governo federal.

O supermercado invisível fica trancado a maior parte do tempo. Na frente dele, descansa solitária uma bicicleta. Lá dentro, é possível ver uma mesa e um sofá. Nenhuma caixa de nenhum produto. Mas é a partir dali que saíram produtos que resultaram em contratos que somaram a seus proprietários R$ 45 milhões, de 2012 até o final de 2020.

As salas vizinhas venderam ao longo desse tempo ao governo acessórios de vestimenta militar, como coturnos, itens de alimentação e até reformas de estruturas em órgãos como a Guarda Nacional e campi dos Institutos Federais (IFs). Duas sedes foram visitadas pelo Jornal de Brasília, uma delas, Saúde & Vida Comercial de Alimentos, não possui fachada ou qualquer outra identificação.

A dona do estabelecimento, Azenate Barreto Abreu, é mãe do casal que opera os outros dois negócios na capital. Somente ela tem contratos firmados com a União que somam R$ 12,5 milhões. Em uma Nota Fiscal emitida ao 3º Esquadrão de Cavalaria do Rio de Janeiro, em novembro do ano passado, há registro de fornecimento de linguiça, bacon, couve e outros condimentos para a alimentação do Exército, como creme de leite e leite condensado.

Coturnos

Elvio Rosemberg da Silva Abreu Junior, filho de Azenete, chefia a DFX Comércio e Importação, e possui vários contratos junto à Defesa, como vendas de coturnos, uniformes, além de ar condicionado para instituições federais de educação profissional e tecnológica. Em uma venda para uma unidade de Pernambuco, em 2016, o valor cobrado por um aparelho de 12.000 BTU/H (Unidade Térmica Britânica por hora) foi R$ 2.300 . O eletrodoméstico hoje, pode ser encontrado por R$ 1.400 em uma loja de departamentos on-line – pouco mais da metade do valor cobrado.

No total, o segundo negócio da família já arrecadou R$ 25 milhões da União. Cynthia Nascente Schuab Abreu, casada com Elvio, é a dona da terceira empresa da família. Ela fornece serviço de construção civil para reformas nas estruturas do Exército. Até 31 de dezembro de 2020, a Schuab Abreu Engenharia recebeu R$ 7,1 milhões do governo federal.

Comente