Uncategorized

Greca diz que vai comprar
vacina para Curitiba

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, assume posição que deveria ser a de todos os governantes com um mínimo de dignidade no exercício de seus cargos. Se o governo federal não fornecer as vacinas necessárias para enfrentar a COVID19, vai providenciá-las com rcursos próprios.

Ou seja, não será um marionete nessa disputa politica infame sobre a vacina, enquanto melhares de brasileiros morrem vítimas da pandemia.

Greca afirmou que possui disposição de imunizar a população curitibana o mais rápido possível e afirmou que a pandemia colocou algemas na economia e no desenvolvimento cultural. “Se o governo federal não exercer a opção de compra das futuras 54 milhões de novas doses de Coronavac, a cidade de Curitiba quer se habilitar a comprar parte delas com os recursos que nós temos no nosso Fundo de Emergência contra catástrofes”.

“Vamos fazê-lo dentro do Plano Nacional de Imunização [PNI], sem furar fila para nenhuma categoria especial, obedecendo as regras nacionais e internacionais, e também como uma manifestação de fraterna solidariedade às outras cidades brasileiras que poderão receber as vacinas do governo federal”, continuou.

Lotes
O Butantan tem contrato para fornecer 46 milhões de doses ao governo federal, mas existe a possibilidade de adicionar mais 54 milhões de doses extras. A pasta pode manifestar interesse pelo segundo lote do imunizante até 30 dias depois da entrega de todas as doses do primeiro.

“Butantan tem compromisso com outros países e se o Brasil declinar desses 54 milhões vamos priorizar demais países com quem temos acordo”, disse Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

A declaração do prefeito de Curitiba ocorre momentos depois de o governador de São Paulo João Doria (PSDB) afirmar que os estados e municípios devem ser priorizados para a compra de 54 milhões de doses da Coronavac.

“Caso o Ministério da Saúde não confirme a compra das 54 milhões de doses adicionais da vacina do Butantan, determinei ao Instituto que forneça estas vacinas prioritariamente aos Estados e Municípios do Brasil. O País tem pressa em salvar vidas. E nós em vacinarmos os brasileiros”, escreveu Doria em suas redes sociais.

Segundo o Butantan, foi enviado o ofício oferecendo as doses ao Ministério da Saúde “para que possa planejar logisticamente a sua produção com a devida antecedência. Durante a urgência de uma pandemia, não é possível se limitar à frieza da burocracia enquanto as ações de combate ao coronavírus podem ser mais ágeis”.

O Ministério da Saúde afirmou em nota nesta quarta-feira (27) que irá se pronunciar no prazo oficial do contrato: “O Contratante [Ministério da Saúde] possui até o dia 30 de maio para manifestar sua opção de compra das 54 milhões de doses adicionais. Deve-se nesse momento priorizar o cumprimento do objeto contratado”.

3 Comentários

  1. Vergonhosa a atitude do Ministério da Saúde, se depender dele a população vai ser vacinada no segundo semestre, se o ministro e o presidente assim o decidirem.

  2. Parabéns Prefeito de Curitiba Sr Rafael Gréca..Sou Seu Eleitor a Anos..Pois o Sr Ama Curitiba e Sempre Prura Fazer Melhorias Para os Moradores,,,Sei o Quanto é Dificel Agradar a Todos Mas o Sr e Suas Ótimas Equipes Estão Sempre Fazendo Melhorias na Cidade 24 Horas Por Dia;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

  3. CURITIBANO CONSERVADOR Responder

    Milhares morrem pelo descaso dos governantes estaduais e municipais por não aplicarem os recursos recebidos do Governo Federal no protocolo precoce que tem salvo muitas vidas e o sr .RG e sua equipe não escapam desta responsabilidade.

Comente