Uncategorized

“Mãos ao alto, o pedágio é um assalto”


O slogan pode ter se inspirado em antiga campanha contra a alta da tarifa dos ônibus em Curitiba. Mas reflete muito bem o que pensam os paranaenses sobre o pedágio e a engenharia que Bolsonaro e Ratinho Jr preparam para manter os preços altos e mínimos os serviços oferecidos em troca. À frente da campanha pelo “novo pedágio”, ratinho é um entusiasta do sistema de “outorga” contestado por todas as categorias de usuários.

Observem a treta. Como se fosse uma boa solução para a sociedade, o governador Ratinho anuncia um modelo híbrido para a concessão dos novos pedágios nas rodovias do Paraná. A licitação que deverá ocorrer no início do próximo semestre prevê cobrança de taxa de outorga. Inaceitável, segundo empresários e deputados que lutam contra o golpe. Só os exploradores do pedágio fazem festa. É tudo que queriam do governo que promete conceder a eles 3.327 quilômetros de rodovias estaduais e federais (834 quilômetros a mais do que o atual traçado) divididos em seis lotes com 42 praças de pedágio, 15 praças a mais do que atualmente. E um prazo de concessão é de 30 anos. Imaginem a farra.

O modelo de licitação tem previsão de R$ 42 bilhões em investimentos. O modelo prevê licitação por menor tarifa, e em caso de empate, o maior valor de outorga pago pelas empresas concorrentes. Metade do valor ficaria com o governo federal e a outra metade seria investido em obras nas rodovias concedidas ou usada para garantir desconto na tarifa.

5 Comentários

  1. Pedro Cerealista Cascavel Responder

    Não acredito! mais praças pedágio no Parana, chega de esfoliação da população paranaense, estamos cansado de enriquecer as empresas do pedágio com altos preços, alem disso perpetuar os políticos corruptos do pedágio, precisamos dar um basta nisso.

  2. CURITIBANO CONSERVADO Responder

    A ratoeira está armada com essa decisão do Kmundongo Jr.
    Agora, não estou entendendo por quê estão envolvendo o nome do presidente nesta questão.
    Aqui no Paraná diferencia-se o preço de pedágio com diversos outros estados da federação por ser talvez o mais alto do Brasil.
    O que desejamos é que minimizem-se os preços e que se mantenham as qualidades das estradas!

  3. Gustavo Henrique Responder

    O presidente Bolsonaro, não vai nem para o segundo turno e já o Ratinho, não conseguirá ser reeleito, o negócio dele é investimentos apenas no litoral!

Comente