Uncategorized

Novo salário mínimo regional
entra em vigor no Paraná

O Secretário da Justiça, Família e Trabalho do Paraná Ney Leprevost assinou nesta terça-feira (09), no Palácio Iguaçu, o novo salário mínimo regional para 2021, que entra em vigor com o pagamento retroativo para o mês de janeiro.

A definição dos valores do novo mínimo regional foi aprovada e variam de R$ 1.467,40 a R$ 1.696,20 conforme a categoria, se mantendo como o maior mínimo regional do País. Os valores serão aplicados até 31 de dezembro de 2021.

“O apoio do conselho foi fundamental para mais essa conquista. O Paraná só tende a crescer com todo este trabalho”, disse o governador Ratinho Junior, destacando ainda que a geração de empregos é o maior programa social. “O estado tem confiança de quem investe e o paranaense tem a vocação de gostar de trabalhar, o que atrai muitos investimentos e consequentemente a abertura de novos negócios, fazendo com que nossa economia se recupere cada vez mais”.

De acordo com o secretário Ney Leprevost, “nós trabalhamos juntos, Governo, empresários e trabalhadores, e com essa união conseguimos garantir que o salário mínimo regional do Paraná seja o maior do Brasil. Isso é uma referência e uma segurança para os trabalhadores e os empresários”.

“O trabalho das bancadas do conselho na construção do diálogo é fundamental para que todos os grupos de trabalhadores sejam valorizados com o piso”, disse presidente do Ceter e representante da Fiep (bancada patronal), Juliana Dias Bacarin.

Para o presidente da CUT no Paraná, que representa a bancada dos trabalhadores no Conselho do Trabalho, Marcio Kieller, afirmou que “dentro do conselho entramos em um acordo e conseguimos firmar esse novo piso que é maior direito do trabalhador paranaense”.

CATEGORIAS – O Paraná adota um piso regional, superior ao valor nacional, com quatro faixas salariais. Na categoria dos trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca, o piso sobe para R$ 1.467,40. Para o setor de serviços administrativos, serviços gerais, de reparação e manutenção e vendedores do comércio em lojas e mercados, o salário aumenta para R$ 1.524,60. Esta categoria engloba também a classe de trabalhadores domésticos.

Para os empregados na produção de bens e serviços industriais, o piso vai para R$ 1.577,40. Para o último grupo, na categoria de técnicos de nível médio, o piso passa a ser R$ 1.696,20.

O mínimo regional não se aplica aos empregados que têm o piso salarial definido em lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho, nem aos servidores públicos.

Participaram também da assinatura do decreto o vice-governador Darci Piana, o chefe da Casa Civil, Guto Silva, o chefe de gabinete da Sejuf, Cristiano Ribas e a chefe do Departamento do Trabalho da Sejuf, Suelen Glinski.

Comente