Uncategorized

Uso eleitoreiro de audiências públicas da Frente Parlamentar do Pedágio

Há uma preocupação crescente dentro do próprio movimento e entre deputados. Se por um lado os paranaenses cobram – com razão – tarifas mais baratas, com obras em todo estado e com transparência, por outro é preciso impedir que o tema do pedágio seja utilizado de maneira personalista por interesses eleitoreiros oportunistas, que desviam o foco e acabam ajudando o outro lado.

As audiências públicas propostas pela ALEP fazem parte de um movimento político para que os deputados envolvidos possam capitalizar os resultados do movimento. O discurso de tarifa mais baixa, sem outorga, não leva em consideração as necessidades do estado por obras essenciais e esperadas há anos pelos paranaenses.

Agora prestem atenção. O que pouca gente sabe é que tais audiências não interferem no processo, pois não são oficiais. A ANTT abriu consulta pública, online, para que a população possa dar sugestões e na próxima semana, nos dias 24 e 25 haverá audiências públicas também online, para debater o assunto com a população. Essas audiências sim interferem no processo, as da Frente Parlamentar do Pedágio, não.

3 Comentários

  1. Não podemos esquecer o “ou baixa ou acaba” de um certo MAMONA..
    Nossos deputados e senadores são todos uns bananas, não agem, não defendem, só levam o deles e a população que se ferre, como sempre…
    Vamos apostar, esse lero lero não vai dar em nada, audiências é só cortina de fumaça, vão fazer o que querem fazer e pronto…
    NOSSO PEDÁGIO VAI CONTINUAR O MAIS CARO DO BRASIL e as obras vão ficar para as calendas gregas….

  2. Valmor Lemainski - Cascavel Responder

    Essa classe política não dá ponto sem nó. Tenho minhas dúvidas sobre as “BOAS INTENÇÕES” dos mesmos…O passado os condena…

  3. Valmor Lemainski - Cascavel Responder

    Os políticos não dão ponto sem nó… Duvido da “BOA VONTADE” dos mesmos. Afinal, o que podiam fazer, não fizeram… Já demonstraram isso…

Comente