Uncategorized

Justiça decreta sequestro de bens
de investigados na Operação Burla


O Ministério Público do Paraná (MPPR), por meio da Promotoria de Justiça de Santa Isabel do Ivaí, no Noroeste do Estado, obteve judicialmente o sequestro de bens contra 11 réus denunciados por crimes investigados a partir da Operação Burla. Em sua maioria advogados. Oito deles tinham bens que foram sequestrados. Desde 2018, o Gaeco apurou crimes de estelionato, apropriação indébita e lavagem de dinheiro, com 29 vítimas lesadas em mais de R$ 5 milhões.

Com a quebra de sigilo telefônico dos aparelhos celulares apreendidos na operação e com buscas de bens realizadas nos sistemas dos órgãos públicos, a Promotoria impetrou medida cautelar que culminou no sequestro de 31 imóveis, uma lancha, valores aplicados em ativos financeiros, direitos em ações judiciais e semoventes de produção (animais bovinos). Os bens serão agora avaliados, junto com outros anteriormente sequestrados, buscando-se a apreensão integral do produto ou do proveito ilícito obtido pelos réus.

Foram 19 crimes de estelionato e apropriação indébita e quatro crimes de lavagem de dinheiro contra clientes do Banco do Brasil, em ações de expurgos inflacionários envolvendo correções monetárias dos planos Verão, Collor e Bresser, obtendo vantagens ilícitas e causando prejuízos em montante superior a R$ 5 milhões. Há outros processos judiciais em andamento nas comarcas de Santa Isabel do Ivaí e de Alto Paraná relacionados aos mesmos crimes, com outras vítimas.

Comente