Uma questão de bom senso
para vacinação prioritária


No início do mês de Fevereiro, o prefeito e vice prefeito de Uraí, pequena cidade da região metropolitana de Londrina, tem pedido apoio a algumas autoridades para compra de vacinas em conjunto. Não seria muito afirmar que no estado do Paraná, pelo menos, tenha sido a primeira cidade a propor uma compra em conjunto com outro município, no caso, Curitiba.

Sob a ótica destes administradores públicos, a vacinação deveria ser realizada na população mais “exposta” pois, seguramente, são estas pessoas que acabam contraindo o vírus e levando para casa contaminando seus idosos e crianças.
“Caso a decisão fosse nossa, estaríamos vacinando a partir dos 45 anos de idade e aplicando intervalos de 5 anos acima e abaixo desta idade, alternadamente, até que tivéssemos imunizado nossas pessoas.”, Afirma Ângelo Tarantini, prefeito de Uraí.

“Estudos recentes informam que a tríplice vacina pode ser aplicada nesse público mais jovem. O estado de Santa Catarina em parceria com a UFSC verifica essa possibilidade neste momento. Não teremos receio de ir até lá verificar os resultados para implantar de maneira igual caso tenhamos essa chance. “, Conclui William Xavier, vice prefeito de Uraí.

Comente