Uncategorized

Não relaxem, há mutações
do coronavírus no Paraná


Sem catastrofismo, mas com os dois pés na realidade, a verdade é que ninguém pode relaxar e abrir a guarda diante da pandemia. Pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) identificou novas mutações do coronavírus em circulação no Brasil que podem escapar, mesmo que parcialmente, da imunidade adquirida através da vacinação ou mesmo pela superação de um contágio anterior. Há “mutações preocupantes” em 11 sequências encontradas em cinco Estados e um deles é o Paraná. Também foram encontradas variações preocupantes no Amazonas, Bahia, Maranhão e Rondônia.

As amostras foram colhidas entre março de 2020 e fevereiro de 2021 e fazem parte da Rede de Vigilância Genômica Covid-19 da fundação. O artigo é assinado por 31 pesquisadores e ainda será submetido a um processo de certificação e validação dos pares, que contará com a participação de outros pesquisadores da área para confirmar os métodos e resultados do estudo, ou seja não deve ser usado para orientar a prática clínica.

“Identificamos que linhagens SARS-CoV-2 circulando no Brasil com mutações preocupantes no RBD adquiriram, de forma independente, deleções convergentes e inserções no NTD da proteína S, que alteraram o NTD antígeno-supersita e outros epítopos previstos nesta região. Esses achados apóiam que a contínua transmissão generalizada do SARS-CoV-2 no Brasil está gerando novas linhagens virais que podem ser mais resistentes à neutralização do que as variantes parentais preocupantes”, afirmam os pesquisadores no estudo.

Comente