Uncategorized

Moro tem maior rejeição
para 2022; Lula, a menor


Pesquisa PoderData de 12 a 14.abr.2021 em todo o Brasil, com 3.500 entrevistas, indica que Sergio Moro (sem partido) é o possível candidato à Presidência da República com maior rejeição. O ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça aparece com 60%. Ciro Gomes (PDT) está em seguida, com 57%.

A pesquisa PoderData captou uma estabilidade nos números de rejeição a Moro em relação a duas semanas antes, quando também apresentava 60%. Já Ciro Gomes, no mesmo período, somava 56% de rejeição.

O levantamento mostra, ainda, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem a menor rejeição, com 41%. Oscilou 1 ponto para cima, dentro da margem de erro, em relação ao mês anterior.

O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) tem 50% de rejeição. Um mês antes, registrava 53%.

No Leia Mais, os índices de rejeição dos possíveis candidatos:

DISPUTA PRESIDENCIAL
Caso a eleição presidencial fosse hoje, Jair Bolsonaro (sem partido) iria para o 2º turno com Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O petista tem 34%, e o atual presidente tem 31%. Como a margem de erro do levantamento é de 1,8 ponto percentual, para mais ou para menos, há um empate técnico no limite desses percentuais.

Depois de Bolsonaro e Lula, todos os demais candidatos testados têm 6% ou menos. Ciro Gomes (PDT) e Luciano Huck têm 6%. João Amôedo (Novo) aparece com 5% das intenções de voto. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), fica com 4%. Sergio Moro (sem partido) tem 3% e Luiz Henrique Mandetta (DEM), 2%.

A pesquisa foi realizada pela divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes

Foram 3.500 entrevistas em 512 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 3.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Quando o PoderData simula eventuais cenários de 2º turno, Bolsonaro aparece em uma situação muito menos confortável do que no estudo de dezembro de 2020, quando vencia em todos os cenários de 1º e de 2º turnos.

Lula estava inelegível no ano passado e não foi incluído na pesquisa. Agora, depois de decisão do ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), que anulou todas as decisões tomadas pela 13ª Vara de Curitiba contra o ex-presidente, Bolsonaro terá que recomeçar. No confronto com o atual presidente numa simulação de 2º turno, o petista tem 52% contra 34% de Bolsonaro. São 18 pontos percentuais de diferença. Um mês antes, Lula estava só 5 pontos à frente.

8 Comentários

  1. Parabéns STF e mídia PTralha… vai ter troco…muita água vai rolar…
    #MORO PRESIDENTE 2022

  2. Parreiras Rodrigues Responder

    O único Instituto confiável hoje é por enquanto é o XP. O resto, bem, o resto é resto, mas o Datapoder extrapola a falta de credibilidade. Nas pesquisas que faço através do meu instituto, o Desarrumar mostra ótima performance de Moro, por exemplo.

  3. veja como é. moro era o deus, agora é lula nesse blog, nao entendo os brasileiros, como gostam de coisa errada.

Comente