Uncategorized

Butantan anuncia início
da produção da ButanVac


O governo de São Paulo anunciou que o Instituto Butantan começa nesta quarta-feira a produzir um lote de 1 milhão de doses da vacina ButanVac, imunizante desenvolvido no instituto contra a Covid-19. O teste em humanos da vacina, no entanto, ainda não foi autorizado pela Anvisa.

— Deixo aqui um registro para que a Anvisa tenha o senso de urgência para a aprovação da testagem e desta vacina. O Brasil segue, infelizmente, perdendo 2.500 vidas todos os dias — afirmou o governador de São Paulo João Doria (PSDB).

O Butantan solicitou à Anvisa na sexta-feira passada o início dos testes em humanos. O instituto submeteu o protocolo para as fases 1 e 2 do estudo clínico do imunizante, compostas por estudos controlados com placebo que avaliarão a segurança e eficácia da vacina em 1,8 mil voluntários acima de 18 anos no Brasil.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), porém, suspendeu nesta segunda, 27, o prazo de análise do pedido de estudos em humanos da vacina ButanVac e pediu que o Instituto Butantan complemente informações enviadas à agência para viabilizar a autorização dos testes.

A Anvisa listou 44 pontos ausentes no processo submetido pelo Butantan. Os pedidos da agência se concentram em dois eixos principais: um sobre a qualidade do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), matéria-prima da vacina, e outro sobre os protocolos clínicos a serem adotados.

O diretor do Butantan, Dimas Covas, já havia adiantado que o imunizante começaria a ser produzido nessa semana. Hoje, ele detalhou como será a produção:

— Obviamente ainda temos que aperfeiçoar o nosso sistema produtivo, mas já existe hoje, lá na nossa fábrica, minimamente, 1 milhão de doses em processamento — contou Covas. — Até a primeira quinzena de junho, [teremos] ao menos 18 milhões de doses — garantiu o diretor do Butantan.

Covid-19: Veja o cronograma de entrega de vacinas no Brasil até o fim do ano

Covas afirma que a fábrica de vacinas do Butantan que será usada para a Butanvac, a mesma que já é utilizada para fazer doses contra a gripe, tem uma vantagem já no ponto de partida, porque essa planta de produção está pré-qualificada pela Organização Mundial da Saúde. Essa certificação de qualidade foi dada após ter passado por quase dois anos de inspeção. Assim, ele diz, a venda da ButanVac para outros países seria facilitada.

1 Comentário

  1. Sérgio Roberto Cavichiolo Fran Responder

    Não farei crítica e nenhuma hostilidade, afinas sou engenheiro e não entendo nada sobre saúde ou vacina.

    Mas, na engenharia seguimos os conceitos técnicos e normas para elaboração de projeto e execução de obra.

    Tenho lido em noticiários que o Butantan segue normas internacionais/nacionais desde a criação e é uma entidade de renome nacional e internacional na elaboração de vacinas.

    Sendo assim a Anvisa é que tem que explicar porque esta segurando teste em humanos.

    Outro detalhe é que o governo fez de tudo para importar vacinas, mas a indústria internacional esta sobrecarregada com demanda crescente.

    Se a Anvisa tem dúvidas da qualidade da vacina do Butantan, então que eles façam investigação in loco e se não fizerem por iniciativa própria então que o faça por determinação judicial.

    400 mil brasileiros mortos pela covid 19 tem que ser respeitada por todas autoridades no Brasil. Chega de politicagem irresponsável.

Comente