Política

CPI vai fundo

A CPI da Covid que investiga supostas omissões e irregularidades nos gastos do governo federal durante a pandemia de covid-19 no Brasil não ficará somente na coleta de dados através de depoimentos, quer ir mais fundo. Grupo de senadores já cogitam a quebra do sigilo bancário e fiscal de Luciano Hang (foto), dono da Havan.

Eles querem saber se o empresário pagou sites e serviços de propagação de fake news que disseminava o uso de remédios como cloroquina e ivermectina para combater a doença, quando a ciência já havia comprovado a sua ineficácia.

A CPI da Covid pretende convocar também o coronel Haroldo Paiva Galvão, que até o início deste ano, dirigia o Laboratório Químico Farmacêutico do Exército. Sob sua gestão, no ano passado, a produção de cloroquina na unidade disparou. Ao longo de 2020, foram fabricados 3,3 milhões de comprimidos do medicamento mais “prescrito” pelo presidente Jair Bolsonaro.

Comente