Paraná

Para aquecer a economia do Paraná

É evidente a preocupação do governo em estimular a economia que sofre graves danos pela crise agravada pela pandemia. Ontem, o governador Ratinho Jr anunciou redução de 4 pontos percentuais ao ano nas taxas de juros das operações de microcrédito da Fomento Paraná. Com essa medida, o Banco da Mulher Paranaense, por exemplo, que tinha taxas a partir de 0,76% ao mês, passa a oferecer empréstimos e financiamentos a partir de 0,45% ao mês. No Banco do Empreendedor a menor taxa mensal passa de 0,91% para 0,60%.

“O Governo faz esse esforço para promover a geração de empregos. Estamos melhorando o ambiente de negócios, reduzindo a burocracia, buscando novos investimentos e facilitando o acesso ao crédito, com o trabalho da Fomento Paraná, em parceria com os municípios, para apoiar os pequenos negócios”, explica o governador.

Na mesma perspectiva de aquecer a economia com a preocupação de minimizar os efeitos da crise social, Ratinho Jr disse que o estado vai investir R$ 450 milhões extras em habitação nos próximos dois anos para viabilizar a aquisição da casa própria a cerca de 30 mil famílias paranaenses. A iniciativa faz parte da nova modalidade do programa Casa Fácil Paraná.

Chamada de Valor de Entrada, a nova modalidade tem o objetivo de viabilizar a aquisição da casa própria para famílias com renda de até três salários-mínimos nacionais, que compõem 90% do déficit habitacional do Paraná, segundo o Plano Estadual de Habitação de Interesse Social (PEHIS), feito pela Cohapar e prefeituras. Os recursos são do Tesouro do Estado.

Comente