Paraná

Aos 74 anos, Maringá sabe o que quer – E quer o melhor

Maringá gosta do cheiro do desenvolvimento. Desde a sua fundação. Tudo começa com o café. Depois, vieram a soja, o trigo e o milho. O agronegócio gera divisas. O comércio, a indústria e a prestação de serviços se fortalecem. Graças ao espírito empreendedor do maringaense, a cidade está entre as 20 maiores exportadoras do país. Produtos como soja, açúcares, carnes e miudezas comestíveis de aves e milho.

O olfato dos maringaenses é aguçado e quer sentir a qualidade de vida. Por isso, a cidade precisa crescer de forma inteligente. A Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, cuida dos 20 córregos e ribeirões. Maringá diz “não” à indústria poluente. E diz “sim” à preservação dos nossos mananciais, sejam superficiais ou subterrâneos.

Além disso, a Prefeitura finalizou, em 2020, um Plano de Gestão da Arborização Urbana com as características físicas, econômicas, sociais e ambientais locais. É o primeiro do país a ter uma indicação de espécies para cada uma das mais de 3,5 mil ruas do município. O Viveiro Municipal fornece as mudas para a substituição das árvores removidas de acordo com as especificações do Plano de Gestão.

A Prefeitura cuida dos parques e bosques existentes. O Parque do Ingá ganhou recentemente seu Plano de Manejo. Ele dá aos técnicos as informações necessárias para a busca de soluções para a preservação do espaço. Cheiros, como o do paud’alho em dias de chuva, têm que ser preservados para as gerações futuras.

Novos espaços de convívio das famílias são criados pela Prefeitura. Hoje, dois parques estão em fase final de construção. O Gralha Azul, no Conjunto Ney Braga, e o Rio Samambaia, próximo aos bairros Batel, Campos Elísios, Champagnat e Piatã. Os espaços nascem ao lado de fundos de vale, destinados ao lazer, cultura e esporte, com quadra de areia, campo de futebol, parque infantil, pista de caminhada, corredores florísticos e outros equipamentos.

São obras de relevância no contexto da valorização do espaço urbano e na ocupação inteligente da cidade pela população, reforçando a qualidade de vida, aspecto importante que destaca Maringá em recorrentes pesquisas de alcance nacional.

A Prefeitura Municipal cria condições para que o desenvolvimento seja sustentável e contínuo. Investe na manutenção das estradas rurais. Luta pela modernização das rodovias. Abre ruas e avenidas e promove o recape das vias por onde os maringaenses trafegam na zona urbana. E já deu início ao projeto mais ambicioso de sua história, o Eixo Monumental.

O custo final do Eixo Monumental é de R$ 50 milhões. São 2 quilômetros entre a praça da catedral Nossa Senhora da Glória até a Vila Olímpica. Haverá opções de lazer e convivência com quadras esportivas, pistas de skate, praças, ciclovia, bancos, calçadão, espaço pet, entre outros. Além de acessos a importantes pontos como Terminal Intermodal, Vila Olímpica, prefeitura, catedral, entre outros. O maringaense é apaixonado por Maringá.

E quanto maior a paixão, maior seu nível de exigência. Quanto mais exigente, maior tem que ser a qualidade de vida. Por isso, a Prefeitura trabalha para satisfazer os cinco sentidos da população. Paladar, tato, audição, visão e olfato. Aos 74 anos, a cidade tem maturidade para saber o que quer do presente e do futuro. Afinal, ela se acostumou a ser a melhor do país.

Fonte: ricmais.com.br

Comente