Economia

Soldado Fruet quer atuais pedageiras fora do negócio

Se depender do deputado estadual Soldado Fruet (PROS), as atuais concessionárias de pedágio do Paraná estarão fora do negócio definitivamente. Ele protocolou hoje no Tribunal de Contas uma denúncia contra as seis concessionárias das rodovias do Anel de Integração do Paraná pedindo que elas sejam declaradas “inidôneas” para contratar com o poder público em razão de irregularidades e ilegalidades causadoras de dano aos cofres públicos na execução dos contratos, com pedido de tutela antecipada.

O objetivo do deputado Soldado Fruet é óbvio. Ele quer que o TCE proíba as atuais concessionárias do pedágio no Paraná de disputarem o leilão para as novas concessões. Ele também quer impedir que os atuais contratos que vencem em novembro sejam prorrogados se não houver tempo para realizar a nova licitação até lá.

“Nossa precaução é no sentido de que, se não houver a conclusão do processo licitatório a tempo, essas atuais concessionárias não tenham seus contratos prorrogados, o que seria mais um presente para elas. De igual forma, no caso de inidoneidade declarada, elas estarão proibidas de participar de novos procedimentos licitatórios, e pagarão por todo mal que trouxeram ao povo paranaense”, afirmou. O deputado citou que, em 1997, “visando garantir maior economicidade, agilidade e eficiência na construção, reforma e recuperação da malha paranaense”, o Estado delegou a execução do serviço às empresas Econorte, Viapar, Ecocataratas, Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia. Mas, segundo o ele, a proposta de cobrar um preço módico dos usuários em troca da prestação de um serviço adequado pelas concessionárias, a quem caberia a realização das obras, não vem ocorrendo ao longo das mais de duas décadas de contratos.

Comente