Tag

casa civil

Browsing

rossoni - app

O chefe da Casa Civil Valdir Rossoni recebeu a direção da APP-Sindicato na noite de terça-feira, 22, no Palácio Iguaçu. O sindicato apresentou as principais demandas do magistério estadual. “Há uma pauta extensa que precisamos avaliar com muita responsabilidade. Importante é que o diálogo foi retomado”, disse Rossoni.

“Queremos manter esta proximidade para que as questões que influenciam a qualidade da educação tenham o melhor encaminhamento possível”, completou Rossoni, destacando que um novo encontro vai acontecer em breve.

Foto_ Ricardo Stuckert_ Instituto Lula

da Folha de S. Paulo

Mesmo impedido de assumir um posto no governo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi escalado pela presidente Dilma Rousseff para exercer informalmente a partir desta segunda-feira (21) a articulação política do Palácio do Planalto, função típica do chefe da Casa Civil.

Com um prazo exíguo de pouco mais de uma semana, o dirigente petista desembarcará em Brasília para capitanear uma estratégia que impeça o rompimento do PMDB com o governo federal.

A cúpula nacional do partido marcou para o dia 29 de março reunião para tomar uma decisão oficial sobre o assunto. Com o agravamento da crise política, sobretudo com a divulgação de gravações entre Lula e Dilma, o Palácio do Planalto reconhece que as chances de desembarque do PMDB cresceram.

rossoni, stephanes, artagao

A posse de Valdir Rossoni (Casa Civil), Reinhold Stephanes (Administração) e Artagão Júnior (Justiça e Trabalho) será nesta segunda-feira, 21, às 10h, no Palácio Iguaçu em Curitiba. Dinorah Nogara (ex-secretária da Administração) assumiu a presidência da Elejor (Centrais Elétricas Rio Jordão).

As nomeações dos deputados Rossoni, Stephanes e Artagão abriram vagas para Nelson Padovani (PSDB), Paulo Martins (PSC) na Câmara dos Deputados e Stephanes Junior (PSB) na Assembleia Legislativa. Ainda com a licença de 120 dias do deputado Edmar Arruda (PSD), assume sua cadeira na Câmara dos Deputados o suplente Professor Sérgio (PSD) de Foz do Iguaçu.

fruet e dilma

Do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, sobre a nomeação de Lula para ministro chefe da Casa Civil:

“A nomeação do ex-presidente Lula equivale a renúncia da presidente Dilma ao seu mandato.

Um dia lamentável.

A gravidade da situação atual não encontra precedentes na história recente do país.

Não há expectativa de sucessão viável.

Quando fui relator da CPI dos Correios, que investigou o mensalão, sempre alertei que a estrutura construída ao longo de décadas para garantir governabilidade ao presidente seria a ruína da República.

Foto Ricardo Stuckert_ Instituto Lula

O Globo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aceitou ser ministro da Casa Civil e ocupará a vaga de Jaques Wagner. Com a entrada no governo, Lula passa a ter foro privilegiado. Com isso, ele será julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e não mais pelo juiz de primeira instância Sérgio Moro.

O ex-presidente está reunido com a presidente Dilma Rousseff, desde as 8h30 desta quarta-feira, no Palácio da Alvorada, para discutir a nomeação. O objetivo de Lula, ao assumir o cargo, é tentar barrar o impeachment de Dilma no Congresso. Ele já havia começado a se movimentar, buscando especialmente o apoio do PMDB.

A pasta que Wagner ocupará ainda não foi definida. Edinho Silva (Comunicação Social) também poderá trocar de ministério, segundo fontes que têm participado das negociações.

rossoni - casa civil

Em nota, a Agência de Notícias do Paraná informa que o deputado federal Valdir Rossoni assumirá a chefia da Casa Civil do Estado em substituição a Eduardo Sciarra. O pedido de exoneração de Sciarra, que deixa o governo para cuidar de assuntos pessoais e também se dedicar à preparação de seu partido, o PSD, para a disputa das eleições municipais deste ano, será publicado nesta terça-feira (15) no Diário Oficial do Estado. A posse de Rossoni está prevista para a próxima segunda-feira, às 10h.

lulafoto

No PT cresce a pressão para o ex-presidente Lula assuma a Casa Civil e passa a comandar um ministério de notáveis no governo Dilma Rousseff. O ex-ministro Nelson Jobim já é lembrado para Justiça e Henrique Meirelles para a Fazenda. Outro nome de peso é sondado para a Saúde. “Dilma só faz trapalhada, não conversa com ninguém, não gosta de política e não tem estatura para o cargo que ocupa, ninguém mais a respeita”, diz um petista do círculo de Lula.

O petista, que é do Paraná, lembrou que Lula tinha no seu governo nomes como Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento, Indústria e Comércio), Roberto Rodrigues (Agricultura), Eduardo Campos (Ciências e Tecnologia) e Marcio Thomas Bastos (Justiça). “Dilma ficou refém do baixo clero do Congresso e se não mudar, será mudada”.

PK_ o globo

O Globo

O ex-presidente Lula estava reunido com lideranças do PT nesta quinta-feira, em São Paulo, quando foi informado do pedido de prisão preventiva feito pelo Ministério Público. No calor da notícia, os participantes da reunião reagiram dizendo que Lula teria que aceitar o convite da presidente Dilma Rousseff para ocupar a pasta da Casa Civil, imediatamente. Mas depois que os ânimos serenaram, a avaliação e resposta taxativa de Lula foi de que ele não deveria aceitar ser ministro, pois não poderia fugir da polícia. O convite e a recusa foram noticiados pelo colunista Lauro Jardim.

— Isso seria jogar a biografia dele no lixo — comentou um interlocutor do Planalto na noite desta quinta-feira.