Tag

del nero

Browsing

del nero - coletiva

Em entrevista realizada na manhã desta sexta-feira (29), Marco Polo Del Nero, presidente da Confederação Brasileira de Futebol, comentou o escândalo deflagrado nesta semana envolvendo cartolas de todo o mundo, inclusive Marin, seu antecessor na CBF, que foi preso na operação. Del Nero descartou a possibilidade de deixar o cargo: “Não vou renunciar, porque não tenho nada a ver com isso”, disse o presidente da CBF.

Após o anúncio da prisão de José Maria Marin, ex-presidente da CBF, a atual gestão da Confederação Brasileira de Futebol reafirmou, via twiter, seu compromisso com a verdade e a transparência. A postagem foi enfática ao restringir este compromisso à atual administração, “iniciada no dia 16 de abril de 2015”, como destaca a publicação reproduzida aqui na sequência: cbf - twitter - 27.05.2015

Mas a história parece ser um pouco diferente. Uma rápida olhada no site da instituição, na seção Diretoria, mostra que Marin não é tão distante da atual gestão. Mais do que isso, o ex-presidente ainda ocupa o cargo de vice-presidente, de acordo com as informações do site. Veja :

cbf - site22
(Imagem: reprodução Site CBF – clique para ampliar)

Via romario.org:

O senador Romário comentou na manhã desta quarta-feira (27) a prisão do vice-presidente da CBF, José Maria Marin, ocorrida em Zurique, em uma operação da Polícia Americana. “Muitos dos corruptos e ladrões que fazem mal ao futebol foram presos. Inclusive um dos maiores do país, que se chama José Maria Marin”, declarou.

Veja:

Para o senador, é uma pena que as prisões não tenham ocorrido no Brasil. “Infelizmente, não foi a nossa polícia que prendeu. Ladrão tem que ir para a cadeia. Parabenizo o FBI e especialmente a Polícia Suíça pela atitude. Espero que isso repercuta positivamente e que isso passe a ser aplicado na América do Sul”.

As declarações foram feitas durante audiência pública realizada na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, presidida por Romário. O senador relacionou a falta de recursos para o futebol feminino com a corrupção. “Até hoje o futebol feminino não dá lucro, não dá dinheiro. E onde não dá dinheiro, eles não podem roubar, não pode enriquecer ilicitamente, então, infelizmente eles não apoiam como tem que fazer”, disse.