Tag

greve

Browsing

Trinta colégios e escolas estaduais tiveram aulas nesta quarta-feira (4). Ontem, teve aula na Escola Estadual Nossa Senhora da Salete, no Jardim Social em Curitiba. Cerca de 85% dos professores deram aula, enquanto a presença de funcionários da administração, cantina e serviços gerais foi de 100%. Hoje, só não teve aula em função da assembleia. Veja a lista das escolas que tiveram atendimento nesta quarta-feira, 4.

Em nota, o Governo do Paraná lamenta a decisão tomada pela assembleia da APP-Sindicato de estender a greve de professores. “O governo esclarece que atendeu toda a pauta de reivindicações apresentada pela APP durante as negociações. Além disso, tem feito um grande esforço para regularizar pendências com os servidores e garantir benefícios, como o reajuste acumulado de 60% nos salários nos últimos quatro anos, a implantação da hora-atividade de 33% para todos os professores, a melhoria da qualidade da merenda escolar, a ampliação de investimentos no transporte escolar e o incremento do fundo rotativo das escolas. O governo espera que os professores e servidores da Educação reavaliem a decisão e retornem às salas de aula o mais breve possível, para que os estudantes e suas famílias não sejam ainda mais prejudicados por uma paralisação que não tem mais justificativas”, diz o comunicado.

Veja a seguir os compromissos assumidos pelo Governo do Estado na negociação feita com os professores e funcionários, por meio da APP-Sindicato, para o encerramento da greve:

greve-  vila capanema

da Gazeta do Povo:

Professores de todo o Paraná se reuniram em assembleia nesta quarta-feira (4) e decidiram rejeitar as propostas do governo estadual e manter a greve da categoria, iniciada em 9 de fevereiro. O encontro aconteceu no estádio da Vila Capanema, no bairro Rebouças, que ficou lotado de docentes.

Após o término da assembleia, os grevistas sairão do estádio em passeata até o Centro Cívico. A intenção é acompanhar a votação, na Assembleia Legislativa, do projeto de lei que extingue a Comissão Geral. Apelidada de “tratoraço”, esta medida permite que projetos sejam aprovados em um período curto de tempo, sem a análise individual por comissões da casa legislativa.

Fotos: Gazeta do Povo app - vila capanema1

A APP-Sindicato pagou R$ 80 mil ao Paraná Clube no aluguel do estádio da Vila Capanema para realizar a assembleia com os professores grevistas, informou o jornal Metro/Curitiba. E as despesas com a greve são maiores. A APP deve R$ 51 mil dos estragos na invasão da Assembleia Legislativa. Ainda não pagou e contesta. Tem ainda as quatro locações dos mais de 2 mil ônibus que vieram do interior para as assembleias (em Guarapuava e Curitiba) e manifestações em Curitiba. Tem as despesas de alimentação, com almoços, jantares, quentinhas, lanches, água e logística (camisetas, faixas, cartazes, equipamentos de som, panfleto, jornais). Em suma, nada do que o orçamento de R$ 25 milhões não possa cobrir.

app - vila capanema3

Levantamento aponta que 80% vê de modo positivo a ocupação da Alep por manifestantes; assembleia da APP-Sindicato define futuro da greve hoje.

de Antonio Senkovski, Gazeta do Povo:

A greve de professores e funcionários das escolas estaduais do Paraná é apoiada por 90% dos paranaenses. Os dados foram obtidos em levantamento encomendado pela Gazeta do Povo à Paraná Pesquisas. Os números mostram também apoio expressivo, de 80% das pessoas, sobre a ocupação da Assembleia Legislativa (Alep), ocorrida no dia 10 de fevereiro. O estudo indica ainda que 90% dos habitantes do estado ficaram sabendo da greve, tendo condições, inclusive, de citar parte dos motivos que levaram à paralisação.

info - professores - greve - gazeta (Clique na imagem para ampliar. Infográfico: Gazeta do Povo.)

Foto: Fernando Freire foto - fernando freire-1

de Rafaela Moron, CBN Curitiba:

Professores da rede estadual de ensino confirmaram o local em que será realizada a assembléia da categoria, marcada para quarta-feira. O encontro que deve reunir milhares de pessoas vai ser no Estádio do Paraná Clube- a Vila Capanema.

Por enquanto não há horário definido para a assembléia dos professores da rede estadual. O que a categoria já informou é que o encontro que vai definir se a paralisação chega ao fim será pela manhã, no Estádio do Paraná Clube- a Vila Capanema. Os professores esperam reunir cerca de 20 mil pessoas.

O PT nacional está tentando organizar uma resposta as manifestações programadas contra a presidente Dilma Rousseff para o dia 15 de março. Uma das estratégias é PT a mobilizar os sindicatos que controlam pelo país para que conduzam manifestações capazes de confundir a opinião pública.

No Paraná a ideia é prolongar a greve dos professores da rede estadual de ensino pelo menos até o dia 15 e usar o movimento para criar um forte ruído de comunicação. Enquanto a população vai marchar contra o governo federal do PT os professores, concentrados na Praça Nossa Senhora da Salete, devem fazer ruidosas manifestações contra o governo do estado.

ney -professores 1

No uso de suas atribuições legais, o deputado Ney Leprevost apresentou ofício ao Governo do Estado com as reivindicações dos professores das universidades estaduais.

Ney, que anexou ao ofício carta elaborada pelo comando estadual das universidades em greve, explica que é necessário a urgência na atenção as solicitações para haver entendimento entre o Governo e os professores. “É necessário haver entendimento, pois esta situação está prejudicando os alunos das sete universidades estaduais. É fundamental por um ponto final neste assunto com a máxima urgência”, afirmou o parlamentar.

banda b- escola

de Elizangela Jubanski e Antônio Nascimento, Banda B:

Em meio a greve geral das escolas estaduais que já dura 23 dias, o pátio de uma escola pública repleto de estudantes do Ensino Fundamental desperta o interesse de quem passa pelo local. É o único colégio estadual de Curitiba que está com as portas abertas, a Escola Estadual Nossa Senhora da Salete, que fica no bairro Jardim Social. Cerca de 85% do corpo docente da escola está nas salas de aula, enquanto a presença de funcionários da administração, cantina e serviços gerais é de 100%. Há faixas que foram fixadas no portão da escola pela APP-Sindicato, que representa a categoria, indicando greve, no entanto, o diretor Carlos Comassetto confirmou a rotina das aulas e frequência dos alunos à Banda B.

Em greve desde o dia 9 de fevereiro, os professores da rede estadual de ensino, comandados pela APP Sindicato, mantém a greve apesar de ter todas as reivindicações atendidas desde o dia 20 (sexta-feira retrasada). A assembleia para decidir sobre o destino do movimento foi marcada para quarta-feira, dia 4, e fontes do próprio sindicato, sugerem que existe uma possibilidade de as aulas voltarem na segunda-feira, dia 9.

À volta as aulas na segunda, dia 9, no entanto, é considerada uma previsão bastante otimista. Desde que a APP teve sua pauta atendida pelo governo o movimento ganhou conotações nitidamente políticas e as demandas da categoria se tornaram vagas. Nos bastidores do movimento a informação é de que existe uma orientação nacional do PT para que os sindicatos controlados pelo partido, como é o caso da APP, estendam as paralisações até a metade do mês quando existem manifestações nacionais programadas a favor (dia 13 de março) e contra (15 de março) o governo Dilma Rousseff.