Tag

lixo

Browsing

greve - garis

Sem acordo com a Cavo, garis, varredores e serventes entraram em greve manhã desta terça-feira (17) por tempo indeterminado. A coleta de lixo e limpeza de bairros de Curitiba será afetada nas próximas horas, uma vez que apenas o serviço essencial será mantido. De acordo com o Simeaco, a Cavo aumentou a proposta inicial de reajuste salarial de 4% para 7,7% em março e mais 1,3% em setembro nos salários, além de 10% de reajuste nos tíquetes. Os trabalhadores, porém, rejeitaram a proposta fracionada. “Queremos um aumento justo e lutamos por melhores condições de trabalho. A proposta é insuficiente”, afirmou Manassés Oliveira, presidente do sindicato. As informações são da Banda B e do Bem Paraná.

ney projeto 30.09

Tramita na Assembleia Legislativa um dos 194 projetos de lei apresentados na atual legislatura pelo deputado Ney Leprevost. Na proposta o parlamentar sugere a criação dos Ecopontos, que receberiam os entulhos de construções, reformas, podas de árvores, móveis e eletrodomésticos usados. Segundo Leprevost, a ideia é resolver os problemas gerados com a destinação errada destes materiais. “O entulho é jogado de maneira ilegal em avenidas, terrenos baldios, ruas e praças e acaba gerando sérios problemas ambientais para as cidades”, afirma Ney.

De acordo com o projeto, os Ecopontos seriam locais de entrega voluntária e seriam administrados pelo Poder Público, que faria a destinação correta dos materiais lá depositados.

torcida arena foto antonio more

Da Gazeta do Povo:

A torcida do Atlético deu o exemplo neste domingo (14), após a vitória por 2 a 0 sobre o Vitória. Com sacos de lixo, parte dos atleticanos recolheu o lixo da arquibancada da Arena da Baixada. O pioneirismo da torcida atleticana no Brasil em recolher o lixo segue o exemplo dos japoneses. Além de recolher os dejetos nas partidas da J-League, na Copa do Mundo deste ano a imagem dos nipônicos limpando os estádios após os jogos correu o mundo.

A torcida do Paraná chegou a ensaiar uma mobilização no mesmo sentido, após funcionários do clube deixarem a Vila Capanema suja, após o jogo com o Bragantino, em protesto contra atraso nos salários. Mas a ideia acabou sendo abortada, com medo de repercussão negativa na imprensa.

Os curitibanos não curtiram a caminhada de Gleisi Hoffmann (PT) na manhã do último sábado, dia 9, na Rua XV. “Só papel da Gleisi. Será que a casa dela é assim também?”, questionou o perfil Curitiba Mil Grau no Twitter à respeito da sujeirada deixada pelos petistas na caminhada. “Quem suja a Cidade perde ponto comigo. E garanto q com uma galera! To retirando da cidade um cavalete por dia”, disse Claudia Faret no seu perfil na rede social.

A bronca dos curitibanos já vem desde o início da campanha. O movimento punk e uma frente formada por estudantes da UFPR estão destruindo as peças de campanha nas ruas, em especial os cavaletes. Os alvos preferenciais são Gleisi e Roberto Requião (PMDB).

gleisi passeada